Estado Maior

Preocupação de políticos com enchentes é mostrada em redes sociais

O problema de centenas de maranhenses atingidos pela elevação das águas de rio tem sido usado politicamente por deputados, vereadores, prefeitos, ex-prefeitos e senadores, que somente se solidarizam com a população.

Imirante

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h42
Cidades maranhenses sofrem com enchentes desde domingo
Cidades maranhenses sofrem com enchentes desde domingo (Foto: Reprodução)

SÃO LUÍS - A Defesa Civil já aponta 10 municípios no Maranhão que estão com risco à população devido as chuvas. Imperatriz e Mirador são as mais atingidas. Nas redes sociais, políticos maranhenses de todos os poderes e os que tentam uma eleição este ano têm se solidarizado com a população atingida por enchentes.

Mas a prática, de fato, ainda é pouca. Senadores maranhense, por exemplo, correm para as redes sociais para dizer que enviaram ofício para ministérios, para o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), mas com pouco ou quase nenhum resultado.

Deputados estaduais e federais, ex-prefeitos, prefeitos, vereadores todos com mensagens de solidariedade em cards de redes sociais pedindo orações. Mas na prática, pouca ou quase nenhuma ação.

O momento, na verdade, é de trabalho em conjunto com ações rápidas. O governo do Maranhão, por exemplo, tem feito a ação, mas de certa forma demorou para agir. A situação causada pelas chuvas em Mirador, por exemplo, teve início no domingo e somente na terça-feira, 4, que realmente o secretário de Cidades, Márcio Jerry (PCdoB), tomou à frente e anunciou medidas urgentes para assistir a população do município.

O fato é que o problema grave que vivem as pessoas nestas cidades serve tão somente para que os políticos se apresentem à população como preocupados e solidarizados e nada mais. Falta prática, ação de verdade e isto poderia ocorrer com união de todos.

Disputa eleitoral

Além do uso político da situação das cidades atingidas por enchentes, o problema tem sido usado para a disputa eleitoral.

O vice-governador Carlos Brandão (PSDB), por exemplo, foi cobrado pela ausência diante do problema. O tucano estava de férias com a família e acabou sendo confrontado por adversários afirmando que ele deixou o governo nas mãos do secretário Márcio Jerry.

Brandão, como deveria ocorrer, cancelou temporariamente as férias e vem retornando para o estado para verificar in loco a situação nas cidades.

Prevenção

E a previsão é de que a chuva não vai parar pelos próximos dias. Na verdade, segundo a meteorologia, o Maranhão quase todo terá um período chuvoso mais rígido.

E como as previsões já apontam para problemas que podem ocorrer, cabe aos representantes da população nas cidades em que não ocorreu enchentes, já buscar prevenção.

O ideal é que não deixe para agir após o problema se instalar.

Saúde

O governador Flávio Dino (PSB) está com Covid e buscou auxílio médico para aqueles exames para saber a situação de seu pulmão diante da contaminação com o vírus.

O socialista deu entrada na ala de emergência de um hospital particular de São Luís e deixou todos atentos para a situação.

Depois de algumas especulações sobre a saúde do governador, ele mesmo foi às redes sociais para dizer que seus exames mostram que ele está bem de saúde.

Análise

Tão bem de saúde que mesmo estando no hospital, estava postando comentários a respeito do debate de unidade dos chamados partidos progressistas.

Nas redes sociais, Dino disse que esta união, em outros momentos do país, levou a avanços sociais. Ao dizer isto, demonstrou mais uma vez ser a favor da federação partidária.

Além disto, Flávio Dino parece ter enviado um recado ao PT quanto a composição com o PSB. O socialista disse que para avançar rumo a união é necessário “diálogo e concessões”.

Críticas

O governador maranhense, mesmo com Covid, não deixou de criticar as ações do governo federal relacionada ao tema de vacinação contra o coronavírus em crianças de 5 a 11 anos.

Diante de uma audiência pública que debateu recomendação médica para vacinar as crianças, Dino ironizou e disse que outras do tipo deverão ser realizadas.

Entre elas a para discussão sobre a Terra ser plana ou redonda e uma para revogar a lei da gravidade. Dino disse ainda que o debate sobre a vacinação de crianças é “jogar dinheiro público pela janela para atender caprichos e devaneios”.

Ações separadas

Mas não foi somente sobre política que o governador Flávio Dino falou pelas redes sociais. Diante da enchente em Mirador, ele falou sobre o assunto e disse que o governo do estado já estava agindo.

Dino mostrou que cestas básicas serão distribuídas a partir desta quarta-feira, 5, e também distribuição de refeições em Imperatriz.

No entanto, as ações do governo parecem não serem integradas com os poderes municipais. Em Imperatriz, por exemplo, o prefeito Assis Ramos (DEM) é um adversário político de Flávio Dino.

E mais:

- O problema das enchentes em municípios maranhenses deverá deixar ainda mais quieta a disputa pelo governo do estado neste mês de janeiro.

- Tanto Carlos Brandão quando o senador Weverton Rocha (PDT), adversários direto pelo apoio do grupo de Flávio Dino, decidiram frear esta disputa e esperar chegar dia 31 de janeiro.

- Com as enchentes atingindo centenas de maranhenses, o clima não permite mesmo que houvesse articulações políticas e demonstrações públicas de força.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.