Inspeção

Fiscalização do uso de agrotóxicos no Maranhão será intensificada

Atualmente, existem 560 estabelecimentos comerciais que vendem defensivos agrícolas registrados pela Aged.

Imirante.com, com informações do Crea-MA

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h10
(Foto:Reprodução/ Ingternet)

SÃO LUÍS - A fiscalização da venda de agrotóxicos será mais rigorosa, graças a um acordo de cooperação técnica assinado entre a Agência Estadual de Defesa Agropecuária (AGED-MA) e o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-MA), na manhã desta quarta-feira (13), na sede do CREA-MA, na Praia Grande. Atualmente, existem 560 estabelecimentos comerciais que vendem defensivos agrícolas registrados pela Aged, 1538 cadastros de agrotóxicos e 58 registros de prestadores de serviços.

Para o presidente do Crea-MA, Berilo Macedo, o termo é um marco importante, tanto para o Conselho quanto para a Agência. “Tivemos várias reuniões técnicas para chegar a este momento, e, a partir deste termo, vamos avançar bastante na fiscalização do uso de agrotóxicos. Vamos fazer um trabalho que garanta que esse tipo de produto está sendo aplicado com todo o controle e qualidade. O nosso papel é em defesa da sociedade, tanto do Crea quanto da Aged. E, a partir desse acordo, o nosso profissional poderá cumprir efetivamente o seu papel”, destaca Berilo Macedo.

De acordo com a diretora-geral da Aged, Fabíola Ewerton, apesar dos avanços consideráveis do Maranhão em relação à venda de agrotóxicos, com o registro dos estabelecimentos comerciais aptos para a venda, o acordo proporcionará avanços ainda mais expressivos, principalmente em relação à venda com receituário agronômico e a valorização dos profissionais de agronomia.

“A atuação do responsável técnico deixa de ser somente no papel e passa a ser uma responsabilidade de fato de estar dentro desses estabelecimentos, orientando a venda do agrotóxico. O agrotóxico só pode ser comercializado mediante receituário agronômico, emitido por um engenheiro agrônomo ou engenheiro florestal que são fiscalizados como profissionais pelo Crea. Então o trabalho de forma conjunta vai garantir resultados de qualidade para o agricultor que utiliza o agrotóxico", explica Fabíola Ewerton.

Na prática, a venda de agrotóxicos deverá seguir preceitos semelhantes à venda de medicamentos em farmácias, que deve possuir um profissional farmacêutico no estabelecimento. Na próxima semana serão iniciadas as reuniões para que seja montado um plano de trabalho, que deve começar a ser implantado ainda este ano.

Segundo o subsecretário de Agricultura, Pecuária e Pesca do Maranhão, Sérgio Delmiro, o termo de cooperação vai contribuir no combate ao uso indevido de defensivos agrícolas no campo, trazendo maior segurança em relação ao que é produzido no Maranhão. “Com essa ação conjunta, a gente fortalece a ação direta dentro do campo e favorece para que nossos produtos e a nossa produção tenha uma responsabilidade técnica mais atuante e mais próxima da produção”, enfatizou.

Também participaram da assinatura do acordo a diretora de Defesa e Inspeção e Sanidade Vegetal da Aged, Antônia Lúcia Malheiros, o superintendente de Fiscalização do Crea-MA, Wesley Assis, além de conselheiros, agrônomos e técnicos agrícolas.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.