Greve

Mesmo sob multa de R$ 40 mil, rodoviários continuam em greve

Imirante, com informações de O Estado

- Atualizada em 27/03/2022 às 12h21

SÃO LUÍS - Os motoristas e cobradores de ônibus de São Luís continuarão com os braços cruzados nesta terça-feira (22), mesmo depois da decisão do Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão (TRT-MA), que julgou a greve ilegal e abusiva. O TRT, também, determinou a aplicação de multa diária de R$ 40 mil contra o sindicato da categoria e autorizou os empresários a demitirem os grevistas por justa causa e contratarem outros trabalhadores para os postos de trabalho.

Além da multa diária de R$ 40 mil, a presidente do TRT-MA aplicou multa de R$ 10 mil contra o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Maranhão pela paralisação da última sexta-feira.

Segundo a presidente do Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão (TRT), a desembargadora Ilka Esdra Silva Araújo, a decisão visa garantir o interesse da população da cidade e direito constitucional de ir e vir. “Ao manter a paralisação, os rodoviários extrapolaram o direito de greve que têm. A continuação da greve é uma forma de sociedade. Por isso o tribunal tomou esta decisão”, pontuou a presidente do TRT.

Os rodoviários reivindicam um reajuste salarial de 16%, tíquete-alimentação de R$ 450 e inclusão de mais um dependente nos planos de saúde e odontológico.

Inquérito e demissão

A presidente do TRT expediu um ofício para a Superintendência Regional da Polícia Federal (PF), requisitando a instauração de inquérito para apuração crime de desobediência à ordem judicial e perturbação da ordem pública, e outros ofícios ao Ministério Público Federal (MPF) e ao Comando Geral da Polícia Militar, solicitando reforço policial nas garagens de ônibus.

Ilka Araújo afirmou que os rodoviários que insistirem em manter a greve correm o risco de ser demitidos por justa causa. “A partir do momento que a greve foi considerada ilegal e abusiva, as empresas de transporte coletivo podem demitir por justa causa e contratar novos funcionários para garantir o direito da população de São Luís de ir e vir”, disse.

Ela não descartou a possibilidade de ser feita nova audiênciade conciliação entre patrões e empregados. “O TRT nunca fechou as portas para a conciliação. A qualquer tempo as partes poderão fazer uma composição e o Tribunal os receberá e designará a audiência com essa finalidade”, frisou.

De acordo com o presidente do STTREMA, Dorival Sousa, a aplicação das multas não enfraqueceráo movimento. “Toda a categoria está mobilizada e a aplicaçãodas multas não vai enfraquecer a greve”, disse Sousa.

Matéria atualizada às 00h00 para acréscimo de informação.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.