Feminicídio

Jovem que teve 80% do corpo queimado no MA morre em hospital de Brasília

O suspeito de atear fogo em Larissa Brito é o próprio companheiro, que também morreu após se abraçar à vítima em chamas.

Imirante, com informações da TV Mirante

- Atualizada em 04/10/2022 às 10h42
Larissa Machado Brito morreu após ter corpo incendiado.
Larissa Machado Brito morreu após ter corpo incendiado. (Foto: Arquivo)

SÃO LUÍS GONZAGA – Uma jovem, de 20 anos, que teve o corpo incendiado, morreu, nesta semana, em um hospital de Brasília (DF), onde estava internada. Larissa Machado Brito foi vítima de um feminicídio no município maranhense de São Luís Gonzaga.

O caso foi registrado no dia 14 de setembro deste ano. Segundo informações policiais, ela e o companheiro, identificado como Juscelino Pereira Junior, tiveram uma briga em casa. Ele é suspeito de ter jogado gasolina em Larissa no momento da discussão e, em seguida, ateou fogo na jovem. 

Leia mais:

Homem mata a companheira com tiro de espingarda em São Luís Gonzaga

Momentos depois, possivelmente arrependido, o suspeito se abraçou à vítima em chamas, e os dois ficaram bastante queimados. O casal foi socorrido e internado, inicialmente, no Hospital Regional Laura Vasconcelos, em Bacabal.

Com 80% do corpo queimado, Larissa foi transferida para um hospital de Brasília (DF), enquanto Junior foi encaminhado para um hospital de Goiânia (GO). No dia 30 do mês passado, ele não resistiu e morreu. No último domingo (2), Larissa também veio a óbito.

Eles deixaram uma filha de dois anos. Agora, as famílias dos dois aguardam o translado dos corpos para São Luís Gonzaga (MA), para que os sepultamentos sejam realizados. 

A polícia investiga se o crime foi motivado por ciúmes.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.