Monkeypox

Maranhão confirma segundo caso de varíola dos macacos

Homem de 38 anos, morador de São Luís, é o segundo infectado no Estado, segundo a SES.

Imirante.com

- Atualizada em 12/08/2022 às 23h54
O segundo caso foi confirmado na noite desta sexta-feira (12).
O segundo caso foi confirmado na noite desta sexta-feira (12). (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - O Maranhão confirmou o segundo caso de Monkeypox, conhecida como varíola dos macacos, na noite desta sexta-feira (12). Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), trata-se de um homem de 38 anos que mora em São Luís.

O secretário de Estado da Saúde, Tiago Fernandes, usou suas redes sociais para informar que o paciente não tem comorbidades e tem histórico de viagem para Belo Horizonte (MG).

Ainda segundo o secretário, o homem está em isolamento domiciliar, com quadro clínico estável. Tiago Fernandes informou que os Centros de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) Estadual e municipal seguem acompanhando os casos.

Primeiro caso

O primeiro caso de Monkeypox no Maranhão foi confirmado no fim da tarde dessa quarta-feira (10), em um homem, de 42 anos, residente em São Luís, com comorbidades e sem histórico de viagem.

O paciente deu entrada, inicialmente, no Hospital Municipal Djalma Marque (Socorrão I), em São Luís, no dia 5 de agosto, apresentando fraqueza muscular, dor, febre e lesões pustulosas. O homem foi transferido no sábado (6) para o Hospital Dr. Carlos Macieira, onde ficou internado e foi submetido a exames para confirmar a doença.

Casos no Estado

O cenário da varíola dos macacos (Monkeypox) no Maranhão foi detalhado em uma coletiva, na manhã desta sexta-feira (12), com o secretário de Estado da Saúde, Tiago Fernandes, e a equipe de técnicos.

Sete municípios maranhenses possuem casos suspeitos que continuam sendo investigados. Os pacientes são dos municípios de São Luís (2), Timon (2), Barão de Grajaú (1), Bela Vista do Maranhão (1), Buriticupu (1), Paraibano (1) e Tutóia (1). Todos estão em isolamento domiciliar e sendo acompanhados pelas secretarias de saúde municipais e pela estadual.

O perfil dos pacientes com suspeita de terem contraído a varíola dos macacos é o seguinte: pessoas da faixa etária entre 9 e 38 anos, sendo oito do sexo masculino e um do sexo feminino, que deram entrada tanto na rede pública quanto na privada, com sintomas como cefaleia, febre e erupções cutâneas. Além disso, dois casos têm histórico de viagens, sedo uma internacional.

Sintomas

A varíola dos macacos é uma doença causada pela infecção com o vírus Monkeypox, que causa sintomas semelhantes aos da varíola. Ela começa com febre, dor de cabeça, dores musculares, exaustão e inchaço dos linfonodos.

Uma erupção geralmente se desenvolve de um a três dias após o início da febre, aparecendo pela primeira vez no rosto e se espalhando para outras partes do corpo, incluindo mãos e pés.

Em alguns casos, pode ser fatal, embora seja tipicamente mais suave do que a varíola. A doença é transmitida para pessoas por vários animais selvagens, como roedores e primatas, mas também pode ser transmitida entre pessoas após contato direto ou indireto.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.