Transporte público

Rodoviários ameaçam deflagrar greve geral na próxima terça-feira (29)

Segundo o presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, Marcelo Brito, os profissionais devem fazer uma nova paralisação caso as reinvidicações não sejam atendidas.

Imirante.com

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h01

SÃO LUÍS - O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão realizou nesta terça-feira (22) uma Assembleia Geral com o objetivo de discutir uma possível paralisação do transporte público nos próximos dias. Após a reunião, foi divulgado que a categoria deve deflagar greve geral na próxima segunda-feira (29) na capital maranhense se as reinvindicações da categoria não forem atendidas.

Na reunião, realizada em dois turnos (manhã e tarde), os principais problemas enfrentados pelos rodoviários e o movimento grevista da categoria foram alguns dos principais assuntos debatidos. Desde janeiro, o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão tenta negociar as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho, com vigência para 2022, mas até então, nenhuma contraproposta foi encaminhada pelo sindicato patronal, SET.

A última audiência de conciliação ocorreu no dia 18 de março, mas sem avanços. Com a falta de uma decisão final, o caso seguiu para a última instância e deverá ser julgada na própria justiça do trabalho.

De acordo com o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, a categoria os trabalhadores decidiram pela tomada dos procedimentos para deflagração de greve geral. A entidade cumprirá os prazos estabelecidos pela justiça, comunicando os órgãos envolvidos sobre a paralisação.

O presidente do Sindicato dos Rodoviários comentou que uma nova paralisação dos ônibus na capital maranhense deve ser iniciada a partir da próxima terça-feira (29) se até a próxima segunda-feira (28), não houver uma decisão da justiça favorável as reivindicações da categoria. “Chegamos ao nosso limite. Tentamos de todas as formas, garantir uma negociação, que atenda as reivindicações dos trabalhadores. Não podemos ficar assistindo a intransigência dos patrões, sem interesse algum em resolver esse impasse. Se não tivermos a garantia dos nossos direitos, a partir da próxima terça (29), os ônibus de São Luís vão parar totalmente”, explicou Marcelo.

Entenda a greve

A greve começou no dia 16 de fevereiro com o sistema inoperante. Depois de alguns dias de paralisação total e transtornos à população, os ônibus voltaram a circular em 19 de fevereiro. Antes do início da greve, no dia 14 de fevereiro, o prefeito Eduardo Braide já havia anunciado a prorrogação, por mais dois meses, do auxílio emergencial ao setor do transporte público da capital.

O auxílio, a ser repassado nos meses de fevereiro e março, será de R$ 2,5 milhões (auxílio direto) e mais R$ 1,5 milhão, por meio do programa “Cartão Cidadão”.A prorrogação foi efetivada no início do mês de fevereiro, segundo a Prefeitura de São Luís. O auxílio emergencial ao setor do transporte público foi anunciado no fim de 2021.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.