OPORTUNIDADE

Participação de pequenos negócios nas compras públicas cresce 93%

De acordo com o Sebrae, nos últimos três anos, as compras governamentais somaram R$ 41 bilhões.

Imirante.com

Legislação garante aos pequenos negócios exclusividade nas compras públicas de até R$ 80 mil (Divulgação)
Legislação garante aos pequenos negócios exclusividade nas compras públicas de até R$ 80 mil (Divulgação)

BRASIL - Cada vez mais, donos de pequenos negócios têm se tornado, fornecedores de bens e serviços para o governo, participando de compras públicas. Dados obtidos pelo Sebrae apontam que há uma tendência de maior participação das micro e pequenas empresas (MPE) nesse mercado. Entre 2018 e 2021, os valores homologados pelas MPEs aumentou 93%, passando de R$ 21.261 bilhões para R$ 41.005 bilhões. Nos últimos quatro anos, as compras públicas movimentaram o total de R$ 493.997 bilhões, sendo que 26,20% desse valor correspondem aos pequenos negócios, ou seja, R$ 129.429 bilhões.

Dos 452,5 mil fornecedores cadastrados no sistema Compras.gov.br, 67,7% são micro e pequenas empresas, 297,2 mil ao todo. A maior participação, com 42%, é de microempresa e empresa de pequeno porte, com 19%. Os microempreendedores individuais (MEI) aparecem com a menor participação, de apenas 4,7%. Os números e dados extraídos são do Painel de Compras do Governo Federal.

A analista de Desenvolvimento Territorial do Sebrae Nacional Denise Donati explica que participar das compras públicas governamentais é uma das diversas oportunidades de atuação asseguradas aos pequenos negócios pela Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (LC 123/2006). A legislação garante que os pequenos negócios, inclusive MEI e pequenos agricultores, tenham tratamento diferenciado nos processos licitatórios, como exclusividade em compras de até R$ 80 mil.

 
 

“O Estado brasileiro é o maior comprador do país e a compra pública rege o comportamento do mercado e movimenta a economia local. Ao privilegiar os pequenos negócios locais nas aquisições do poder público, cria-se um círculo virtuoso, pois, ao ampliar seu mercado vendendo para o governo, os pequenos negócios têm mais chances de crescer e gerar mais empregos e renda e estimular o consumo no comércio local. Com isso, o município aumenta sua arrecadação e pode investir mais na qualidade de vida da população e melhoria do IDH”, avalia a analista.

O Sebrae tem atuado na implementação da norma nos municípios e colaborado para o aperfeiçoamento e a modernização das ferramentas digitais disponíveis, como o Portal Compras.gov.br e o aplicativo móvel APP Compras.gov.br. Atualmente, 3.243 municípios, ou seja, 58,24% estão cadastrados no sistema Compras.gov.br. Nesse caso, as prefeituras participam das diversas modalidades de licitação por adesão, comprando junto com o governo federal.

Crédito viável 

No começo do ano passado, foi lançado o Antecipa Gov, iniciativa que é uma alternativa para solucionar a necessidade de crédito das empresas. Os fornecedores que possuem contratos ativos com os órgãos da Administração Pública Federal podem solicitar a antecipação de crédito no valor máximo de 70% do valor total do seu contrato. A análise é feita pelos bancos que usam o contrato como garantia para ofertarem taxas menores. “O Sebrae tem trabalhado para que o Antecipa Gov também seja ampliado para os estados e municípios”, adianta Denise Donati.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.