Caso Gabriel da Silva

Casal que agrediu jovem negro em Açailândia é indiciado por tentativa de homicídio

A polícia também pediu a prisão preventiva de Jhonnatan Silva Barbosa, homem que aparece nas imagens agredindo Gabriel da Silva Nascimento, de 23 anos.

Imirante.com

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h31
Agressões aconteceram na porta do prédio onde Gabriel morava. (Foto: Reprodução)
Agressões aconteceram na porta do prédio onde Gabriel morava. (Foto: Reprodução)

AÇAILÂNDIA - A Polícia Civil do Maranhão concluiu, nessa terça-feira (25), o inquérito em desfavor de Ana Paula Costa Vidal e Jhonnatan Silva Barbosa, indiciados por tentativa de homicídio duplamente qualificado contra o jovem Gabriel da Silva Nascimento, de 23 anos. A vítima foi tirada de dentro do próprio carro e agredida pelo casal na porta do prédio onde morava, em Açailância, cidade distante 566 km de São Luís, em dezembro do ano passado.

O inquérito foi presidido pelo titular da 9º Delegacia Regional de Açailândia, delegado Saniel Ricardo Trovão Brito, que concluiu que os indiciados agiram com dolo eventual ao praticar agressões físicas em regiões vitais do corpo de Gabriel da Silva Nascimento como pisar no pescoço e sufocamento com os braços.

O delegado considerou que os indiciados assumiram o risco que poderia levar à morte da vítima, caso não conseguisse se livrar dos agressores ou a testemunha Marcos Wesslley Vieira de Oliveira não chegasse para esclarecer que a vítima não estava furtando o próprio veículo.

Jhonnatan Silva Barbosa e Ana Paula Vidal, autores das agressões. (Foto: Reprodução / Redes Sociais)
Jhonnatan Silva Barbosa e Ana Paula Vidal, autores das agressões. (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

O crime aconteceu no dia 18 de dezembro de 2021 quando Gabriel foi agredido por vistoriar o próprio carro, estacionado na frente do prédio onde morava, em Açailândia.

Para assegurar a aplicação da lei penal, considerando que Jhonnatan Silva Barbosa não foi localizado, o delegado representou pela prisão preventiva dele.

Com a conclusão do inquérito, cabe ao Ministério Público do Maranhão decidir se denuncia ou não os dois suspeitos.
Em caso de denúncia mantendo a classificação do crime, eles podem ir a júri popular.

Relembre o caso

As agressões contra Gabriel aconteceram em frente ao prédio onde morava, no dia 18 de dezembro de 2021. As imagens mostram que Jhonnatan e Ana Paula mandaram Gabriel sair do veículo e começaram as agressões. A vítima foi derrubada, sofreu chutes, pisões e tapas.

Durante as agressões, Ana Paula colocou os joelhos na barriga de Gabriel, enquanto Jhonnatan pisava no pescoço da vítima. A sessão de espancamento só parou quando um vizinho avisou que Gabriel era morador do prédio e dono do carro de onde foi retirado.

No dia das agressões, Gabriel foi à delegacia para fazer um boletim de ocorrência, mas em três tentativas diferentes, ele foi informado de que o sistema estava fora do ar. Por isso, só conseguiu registrar a queixa no dia seguinte, o que impediu a prisão em flagrante dos agressores.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.