São João

Sotaque de orquestra: o caçula dos ritmos do Bumba Meu Boi que encanta e se reinventa

Com maior crescimento numérico durante os últimos anos, os grupos desta vertente são maioria dentro dos arraiais no São João.

Na Mira

- Atualizada em 13/06/2022 às 13h52
Foram contabilizados grupos de sotaque de orquestra em aproximadamente 56 das 217 cidades do Maranhão
Foram contabilizados grupos de sotaque de orquestra em aproximadamente 56 das 217 cidades do Maranhão (Foto: divulgação)

SÃO LUÍS - Trazendo uma fusão de sons por meio da variedade de instrumentos, o sotaque de orquestra é o caçula dos ritmos do Bumba meu boi, mas já se tornou a vertente do da brincadeira com maior crescimento numérico nos últimos anos. 

Os grupos do sotaque de orquestra são apreciados por maranhenses e turistas durante as festas do período junino no Maranhão. Os principais nomes do ritmo são o Boi de Nina Rodrigues, Boi de Axixá, Boi de Morros, Boi Brilho da Ilha, Boi Novilho Branco, Boi Upaon-Açu, Boi de Sonhos, Boi de São Simão, dentre outros.

De acordo com os pesquisadores, o sotaque de orquestra surgiu na região dos municipíos de Rosário e Axixá, conhecida como Munin, por volta das décadas de 50 e 60. Segundo a professora e pesquisadora Lady Selma Ferreira Albernaz, a origem dos grupos está ligada a orquestra do bordel da cidade de Rosário, que era conhecida por sair pelas ruas tocando seus instrumentos entre os anos de 1920 e 1930.

Uma música de Chico Saldanha também conta que foi em Rosário que os bois de orquestra começaram. Ouça a canção “Parabéns, Rosário”, inspirada no sotaque de orquestra:

Em uma dessas apresentações, o grupo encontrou um Boi de Zabumba e tocaram juntos pelas ruas. A resposta sonora foi tão agradável que deu início a uma nova forma de brincar bumba meu boi na região. 

Os registros contidos no dossiê do bumba meu boi como Patrimônio Cultural do Brasil também há algumas definições que caracterizam o sotaque de orquestra. Além dos instrumentos de sopro, a base rítmica do estilo musical é definida pelo bumbo, pelo tambor-onça e pelo banjo. Essa observação ajuda a comprovar a hipótese do boi de orquestra ter sido originado de outro estilo, tendo a orquestra sido inserida com a função de realçar o sotaque.

Os principais instrumentos de sopro contidos no sotaque de orquestra são o saxofone, trompete e trombone. A presença do violão, cavaquinho, clarinete, flauta, tamborim e até a sanfona também são vistos nos grupos.

As apresentações com os integrantes dos grupos em formato semicircular com o boi no centro é outra característica marcante do estilo. Porém, alguns grupos como o Boi de Axixá já optaram pela formação em fileiras e com mais de um boi dançando entre os brincantes.

Segundo a pesquisadora da Comissão Maranhense de Folclore, Lilian Brito, foram contabilizados grupos de sotaque de orquestra em aproximadamente 56 das 217 cidades do Maranhão, dentre as quais é possível citar:

Alto Alegre do Pindaré
Apicum Açu
Araioses
Arari
Axixá
Bacabeira
Balsas
Barreirinhas
Bequimão
Cachoeira Grande
Cajapió
Caxias
Central do Maranhão
Chapadinha
Codó
Coroatá
Cururupu
Governador Edison Lobão
Grajaú
Guimarães
Humberto de Campos
Icatu
Imperatriz
Itapecuru Mirim
Matões do Norte
Miranda do Norte
Mirinzal
Morros
Nina Rodrigues
Nova Olinda do Maranhão
Paço do Lumiar
Palmeirândia
Paulino Neves
Penalva
Peri Mirim
Pindaré Mirim
Pinheiro
Presidente Juscelino
Primeira Cruz
Raposa
Rosário
Santa Helena
Santa Rita
Santo Amaro
São Benedito do Rio Preto
São Bento
São José de Ribamar
São Luís
Sucupira do Norte
Timon
Turilândia
Tutóia
Urbano Santos
Vargem Grande
Viana
Vitória do Mearim

 

 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.