Execução em Vitória do Mearim

Execução em Vitória do Mearim: atirador é preso em São Luís

Luiz Carlos Machado foi preso no bairro da Forquilha, em São Luís.
Imirante.com03/06/2015 às 21h49

SÃO LUÍS – O Serviço de Inteligência da 13ª Companhia Independente da Polícia Militar, do município de Viana, efetuou, na noite desta quarta-feira (3), a prisão do vigilante Luiz Carlos Machado, acusado de assassinar o mecânico Irialdo Batalha, no dia 28 de maio, em Vitória do Mearim. Luiz Carlos foi detido no bairro da Forquilha, em São Luís, e será apresentado no Plantão do Cohatrac.

Leia mais

Após furar blitz, homem é executado na frente de populares

Execução em Vitória do Mearim: OAB quer que haja investigação e punição

O homicídio de Irialdo foi registrado em um vídeo gravado por populares. O mecânico, que estava desacordado e caído no chão, foi executado com dois tiros na cabeça. Luiz Carlos Machado aparece vestindo uma farda no estilo militar, mas a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) informou que o atirador era um vigilante, funcionário do município de Vitória do Mearim, e não um policial.

Em nota, a SSP informou que Luiz Carlos Machado estava acompanhado de policiais militares, em uma perseguição a dois suspeitos de praticarem assalto a um comércio, que resultou em uma troca de tiros. Um dos suspeitos, que seria Irialdo, foi baleado, caiu da moto e bateu a cabeça. Depois disso, de acordo com as testemunhas, o vigilante se aproximou e efetuou os disparos, sem a presença dos policiais militares, que estariam perseguindo o segundo indivíduo.

Populares e parentes da vítima, por sua vez, deram outra versão: Irialdo e outro homem, moradores de Arari, estariam bebendo em Vitória do Mearim e não pararam em uma blitz policial quando voltavam para o seu município, já que a moto do mecânico estava sem placa. A polícia, então, começou a disparar e atingiu os dois. Irialdo, que já estava ferido, foi executado pelo vigilante, que não prestou socorro. “Ele era um rapaz querido pela família, era uma pessoa boa, prestativo. A gente ficou sem entender a ação da polícia, pois meu primo não reagiu e nem tinha arma, estava indefeso no chão”, lamentou um primo da vítima, em entrevista à rádio Mirante AM.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.