Natural de Buriti Bravo

Após matar mãe e filho, maranhense é morto por milicianos no Rio de Janeiro

Luís Fernando queria matar a ex-companheira, como ela não estava em casa, ele acabou assassinando a prima da sua ex-mulher e um bebê de quatro meses.
Imirante.com*11/02/2020 às 14h58
Luís Fernando Guimarães Barbosa, de 21 anos, foi morto por milicianos. / Foto: Reprodução.

RIO DE JANEIRO – Nessa segunda-feira (10), um maranhense, identificado como Luís Fernando Guimarães Barbosa, de 21 anos, foi morto a pauladas na comunidade Gardênia Azul, na zona oeste do Rio de Janeiro.
Segundo a Polícia Civil do Rio, Luís, que era ajudante de pedreiro, era acusado de ter matado a dona de casa Marileide da Silva Nascimento, de 24 anos, e seu filho Bryan Lucas Júnior, de apenas 4 meses de idade. O duplo homicídio aconteceu na última sexta-feira (7), também na comunidade Gardênia Azul.
De acordo com o site Extra, moradores da região afirmam que Luís Fernando foi executado a mando da milícia, que atua na comunidade, como punição pela morte da mãe e do bebê, que também eram maranhenses.

Duplo homicídio

Mãe e filho foram mortos com cerca de 30 facadas. / Foto: Reprodução.

Segundo a Polícia Civil do Rio de Janeiro, Marileide da Silva e Bryan Lucas foram assassinados por Luís Fernando com mais de 30 facadas, no fim da madrugada de sexta (7). Segundo as investigações, Luís Fernando foi até a casa das vítimas com a intenção de assassinar sua ex-companheira, a atendente de lanchonete Lucilene Pereira da Silva, de 22 anos. Mas, como a jovem não estava na residência, o ajudante de pedreiro acabou assassinando Marileide, que era prima de Lucilene, e o filho dela de apenas 4 meses de idade. Marileide e o filho Bryan moravam juntos com Lucilene Pereira.

Ainda de acordo com as investigações, Luís Fernando e Lucilene tiveram um relacionamento de 8 meses, durante esse tempo, o ajudante de pedreiro agredia a companheira constantemente por causa de ciúmes. Por esse motivo, a atendente de lanchonete decidiu terminar o relacionamento com Luís Fernando. Revoltado, Luís começou a ameaçar a ex-companheira.

“No Natal do ano passado, durante a festa da família, ele me bateu na frente da minha avó. Por isso, decidi terminar. A partir daí, minha vida virou um inferno. Ele passou a me perseguir, me bater na rua quando eu voltava do trabalho e dizer que iria me matar a facadas”, disse Lucilene ao Extra.

A jovem afirma que decidiu alugar uma casa com a prima para tentar se livrar das agressões do homem, mas Luís Fernando chegou a invadir o local e agredir Lucilene e a prima Marileide. Com medo das ameaças do ex-companheiro, Lucilene começou a dormir na casa de umas amigas, por isso, no dia do crime, Luís Fernando não a encontrou em casa e acabou matando a prima de Lucilene e o filho dela.

Nessa terça-feira (11), os corpos de Marileide da Silva Nascimento e de Bryan Lucas Júnior serão trazidos para a cidade de Buriti Bravo, no Maranhão, para serem velados e enterrados pela família.

Execução

Após o duplo homicídio, foram colocados cartazes na comunidade pedindo informações sobre o paradeiro de Luís Fernando. / Foto: Reprodução.

Segundo os moradores da comunidade, após o crime a milícia que atua na área teria autorizado a execução de Luís Fernando. Homens, não identificados, invadiram a casa de Luís, o levaram para rua e o espancaram até a morte, na frente de várias pessoas. Após executarem o ajudante de pedreiro, os autores do crime jogaram o corpo de Luís no Canal do Anil, na comunidade Gardênia Azul.

Luís Fernando Guimarães Barbosa também era natural da cidade de Buriti Bravo, no Maranhão. Ele morava no Rio de Janeiro há quatro anos.

*Com informações do Extra.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.