Estado Maior

Liderança política é foco principal de escolha de Dino

Governador Flávio Dino optará pelo apoio a Carlos Brandão; Weverton Rocha nunca poderia ser o indicado porque é visto como uma ameaça à liderança política de Dino no Maranhão pelo próximos oito anos.
Imirante25/11/2021 às 06h24
Liderança política é foco principal de escolha de DinoSenador Weverton Rocha é visto como uma ameaça à liderança de Dino no Maranhão enquanto Brandão é tido como a melhor opção para o Palácio dos Leões (Foto: Divulgação)

Em julho deste ano, o governador Flávio Dino (PSB) apresentou uma carta compromisso aos seus aliados com critérios que seriam determinantes para a escolha do nome do seu grupo que disputará o Palácio dos Leões no próximo ano. Avaliação popular (pesquisas), articulação política e continuidade de projetos do governo de Dino foram as metas que cada pré-candidato deveria alcançar para se tornar o nome único da turma do Palácio dos Leões.

Alguns meses depois, o que se configura é que estes parâmetros pouco irão importar para a decisão do governador sobre o candidato de seu grupo político.

Mas por que Flávio Dino não manterá estes critérios da carta compromisso como determinantes para sua decisão da próxima semana?

A resposta é simples: em 2022 o que está em jogo para o governador maranhense é o posto de liderança política do Maranhão.

Flávio Dino tem data já definida para deixar de ser governador e se tornar pré-candidato ao Senado. Antes mesmo de entrar abril, Dino deve deixar o Palácio dos Leões.

A partir daí, ele já sabe que sua liderança política enfraquece já que seu grupo não sairá unido após decisão que o governador tomar na próxima semana.

E entre os pré-candidatos, é claro que o que pode manter Dino como líder político mesmo fora do Palácio dos Leões é o vice-governador Carlos Brandão (PSDB). Primeiro porque não há possibilidade de reeleição. E depois porque o tucano não formou qualquer grupo político que possa garantir uma sobrevida após de 2026.

Diferente este pré-candidato, o senador Weverton Rocha (PDT) organizou um grupo político e, se eleito for, pode passar a ser uma liderança política do Maranhão, por, pelo menos, 8 anos.

Isto significa que Dino deixaria de ser o líder mais expressiva do estado e abriria para outro grupo política encabeçado, liderado por Weverton Rocha.

E isto Flávio Dino não quer de forma alguma!

Defesa

Na quarta-feira, 24, em entrevista ao programa O que interessa da Mirante FM, o pré-candidato ao governo do Solidariedade, Simplício Araújo, votou a defender o adiamento da decisão de Flávio Dino sobre apoio para a disputa ao governo estadual.

Segundo defendeu Simplício, o momento é de manter o trabalho do governo estadual e somente no ano eleitoral de debater política.

O debate eleitoral, ainda de acordo com o secretário, deveria ser intensificado a partir de abri do próximo ano.

Menos força?

Entre a maioria dos aliados de Flávio Dino há um entendimento de que ele poderá sair enfraquecido eleitoralmente se for feito o anúncio de seu candidato ao governo já na próxima semana.

Eles entendem que com a escolha o grupo se esfacelará de vez e deixará Dino isolado do jogo principalmente reacionado às questões nacionais.

O problema é que a escolha do governador, que é Carlos Brandão, não tem mais como esperar para ser anunciada.

CPI criada

A Câmara Municipal de São Luís instalou a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Transporte Público.

O presidente Osmar Filho assinou o documento que dá prosseguimento ao requerimento do vereador Chico Carvalho (PS), autor da CPI.

Os membros já foram escolhidos: além de Carvalho comporão a CPI ainda Marquinhos Silva (DEM), Otávio Soeiro (Podemos), Álvaro Pires e Astro de Ogum (PCdoB).

Presidência

O presidente da Comissão deverá ser o autor da proposta, Chico Carvalho, e a relatoria deverá ficar com Marquinhos Silva.

Silva, por sinal, foi autor de outra proposta de criação de uma CPI, mas acabou não sendo aceita porque foi protocolada depois da de Chico Carvalho.

A previsão agora é de que os trabalhos da CPI do Transporte Público comecem já na próxima semana. A duração é de 60 dias prorrogáveis por mais 60 dias.

Martelo batido

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB), em encontro virtual do MDB Mulher, garantiu que vai disputar uma vaga na Câmara dos Deputados.

Segundo ela, o seu nome estará à disposição da população do Maranhão para a eleição para deputada federal.

Roseana ainda não havia feito anúncio oficial sobre sua escolha para as eleições de 2022. Ela estava entre ser candidata a deputada ou entrar na corrida de novo pelo governo do estado.

Votação boa

Com esta decisão da ex-governadora Roseana Sarney, o MDB do Maranhão deverá conseguir eleger uma boa bancada na Câmara dos Deputados.

Pelas pesquisas, Roseana mostra ter de 30 a 35% da opinião dos eleitores. Estes percentuais são vistos como os eleitores fiéis da ex-governadora.

Se for assim mantida esta votação, a previsão é de que o MDB consiga de três a quatro vagas na Câmara.

E mais:

- Ainda há muita pressão sendo feita dentro do grupo do governador Flávio Dino. Prefeitos, vereadores, deputados estaduais e federais estão sendo chamados para conversar.

- Dino que garantir o máximo de apoio possível a Brandão quando ele for anunciado como o candidato do Palácio dos Leões.

- As garantias que estão sendo dadas passam desde liberação de convênios e emendas parlamentares até espaços no governo e loteamento político das bases no interior do Maranhão.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.