Câncer de próstata

Novembro Azul: conheça os exames de rastreamento para câncer de próstata

No Hospital São Domingos, é oferecida estrutura completa para a realização dos principais exames de rastreamento do câncer de próstata, sendo a dosagem de PSA e o toque retal.
Publipost / Hospital São Domingos22/11/2021 às 08h00
Novembro Azul: conheça os exames de rastreamento para câncer de próstataO câncer prostático acomete, geralmente, homens mais velhos, considerado raro naqueles com menos de 40 anos. ( Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - O rastreamento é realizado para diagnosticar o câncer antes que o paciente apresente qualquer sintoma da doença. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a cada triênio são diagnosticados 65.840 novos casos de câncer de próstata no Brasil. No ranking dos mais incidentes entre os homens, ele só fica atrás do câncer de pele não melanoma. Isso significa que 1 em cada 9 homens será constatado com a doença.

O câncer prostático acomete, geralmente, homens mais velhos, considerado raro naqueles com menos de 40 anos. Estimativas mostram que 6 em cada 10 casos são de pacientes com mais de 65 anos.

No Hospital São Domingos, é oferecida estrutura completa para a realização dos principais exames de rastreamento do câncer de próstata, sendo a dosagem de PSA e o toque retal. Segundo o médico urologista do Hospital São Domingos, Dr. Sérgio Moura, o ideal é que ambos sejam realizados, pois, sua combinação permite o diagnóstico precoce em 80% dos casos.
Exame do antígeno prostático específico (PSA)

O antígeno prostático específico (PSA) é usado principalmente para rastreamento do câncer de próstata em homens assintomáticos. É também um dos primeiros exames realizados em homens que apresentam sintomas que podem ser causados pelo câncer de próstata.

“O nível de PSA no sangue é medido em unidades de nanogramas por mililitro (ng/ml). A chance de ter câncer de próstata aumenta à medida que o nível de PSA aumenta, mas não existe um ponto de corte definido que se possa afirmar com certeza se um homem tem (ou não) câncer de próstata”, explica Dr. Sérgio Moura.

Toque retal

O toque retal é um exame clínico que detecta alterações na próstata, como a presença de nódulos, endurecimentos ou quaisquer irregularidades. Apesar de desconfortável, o procedimento dura apenas alguns segundos.
“O câncer de próstata geralmente começa na parte posterior da glândula e, às vezes, pode ser sentido durante o toque retal. Esse exame pode ser desconfortável, principalmente para homens que têm hemorroidas, mas geralmente não é doloroso”, esclarece o médico urologista.

Outros exames

Se o resultado inicial do PSA for anormal, outra opção é fazer outro tipo de exame para que o paciente e o médico tenham uma ideia da possibilidade de um câncer de próstata, e portanto se é necessário a realização de uma biópsia. Alguns dos testes que podem ser realizados incluem:

Exame de toque retal, se ainda não foi realizado.
Exame de imagem da próstata, como ressonância magnética ou ultrassom transretal.
Um ou mais dos tipos de PSA citados acima, como o índice de saúde prostática (PHI), 4Kscore ou PSA livre ou outros exames de laboratório.

Biópsia da próstata

Para alguns homens, a biópsia da próstata pode ser a melhor opção, principalmente se o nível inicial de PSA estiver alto. Na biópsia pequenas amostras da próstata são removidas e enviadas para análise em um laboratório de patologia. A biópsia é a única maneira de saber com certeza se um homem tem câncer de próstata.
Leia mais em: www.hospitalsaodomingos.com.br

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.