Covid-19

Prefeitura de São Luís aguarda novas doses para vacinar grávidas e puérperas contra Covid

Ministério da Saúde incluiu grávidas e puérperas no grupo prioritário; novas doses da Pfizer chegam hoje ao Brasil.
Imirante.com*29/04/2021 às 07h24
Prefeitura de São Luís aguarda novas doses para vacinar grávidas e puérperas contra Covid Grávidas e puérperas foram inseridas no grupo prioritário da vacinação contra Covid. (Foto: Reprodução)

SÃO LUÍS – Após a inclusão de gestantes e puérperas (mulheres no período pós-parto) no grupo prioritário da vacinação contra a Covid-19, a Prefeitura de São Luís informou que “aguarda a chegada das doses de vacina específicas para divulgar o calendário para este grupo”.

Leia a nota da Prefeitura de São Luís na íntegra

“A Prefeitura de São Luís informa que vem seguindo as diretrizes do Ministério da Saúde na determinação dos públicos-alvo da campanha e que irá seguir a normativa do órgão que determina a vacinação de pessoas com comorbidades, incluindo as gestantes e puérperas. O Município aguarda a chegada das doses de vacina específicas para divulgar o calendário para este grupo prioritário.

Conforme o MS, devem ser vacinadas, prioritariamente, as gestantes e puérperas que possuam alguma complicação de saúde, seguido da vacinação das gestantes e puérperas sem comorbidades.”

Prioridade

Em razão da situação preocupante da pandemia no Brasil e visto que grávidas e puérperas têm risco maior de hospitalização por Covid-19, o grupo foi incluído nesta etapa da campanha de vacinação no país. A informação foi divulgada nessa quarta-feira (28) pela coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI) do ministério, Franciele Francinato.

Leia mais:

Ministério da Saúde inclui grávidas no grupo prioritário de vacinação contra a Covid

Primeiro lote de vacinas da Pfizer chega ao Brasil nesta quinta (29)

Mortes de grávidas e puérperas por Covid-19 dobram em 2021

Em 15 de março, o governo já tinha incluído as gestantes com comorbidades. De acordo com Franciele, uma nota técnica foi encaminhada ontem (26) aos secretários estaduais de Saúde, com as novas orientações.

“Nossa indicação é que, nesse momento, vamos alterar um pouco a recomendação da OMS [Organização Mundial de Saúde] que hoje indica a vacinação, de acordo com o custo x benefício. Mas, hoje, o risco de não vacinar gestantes no país já justifica a inclusão desse grupo para se tornar um grupo de vacinação nesse momento”, afirmou.

Apesar da mudança, de acordo com a pasta, em um primeiro momento, devem ser vacinadas as grávidas com doenças pré-existentes. De acordo com a coordenadora, serão usados as vacinas Coronavac, AstraZeneca e da Pfizer. Neste caso, o primeiro lote de entregas do imunizante da Pfizer deve chegar nesta quinta-feira (29).

*Com informações da Agência Brasil

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.