Resgate

Jumentos são resgatados quatro dia após caírem em poço, em São Luís

"É emocionante ver que o animal percebe que estamos tentando ajudá-lo", disse bombeiro que participou da ação.
Imirante.com, com informações do CBM-MA26/06/2020 às 10h41
Jumentos são resgatados quatro dia após caírem em poço, em São LuísJumentos foram retirados com vida de dentro de poço. (Foto: Divulgação/CBMMA)

SÃO LUÍS - Dois jumentos caíram no fundo de um poço e ficaram presos por pelo menos quatro dias, no bairro Vila Nestor, na capital. O resgate foi realizado por volta das 14h dessa quinta-feira (25), pela guarnição do Batalhão de Busca e Salvamento (BBS).

Chegando ao local, a equipe confirmou as informações e utilizou conhecimentos e habilidades das técnicas de salvamento terrestre, montando um tripé. Nos animais, foram feitas amarrações em pontos estratégicos para não lesioná-los ainda mais, uma vez que, por serem de grande porte e terem caído de uma altura de aproximadamente 8m, poderiam ter sofrido várias lesões.

Após a montagem do sistema, a guarnição iniciou a retirada dos animais que já se encontravam bastante fragilizados devido ao tempo e ao ambiente sem ventilação. A equipe encontrou dificuldade no içamento devido a abertura da cavidade ser bastante estreita, mas concluiu a missão com sucesso.

O Corpo de Bombeiros alerta sobre os riscos de manter um poço aberto sem isolamento, pois oferece perigo inclusive às pessoas próximas ao local, principalmente em períodos de chuva, que podem não ser vistos.

Este tipo de ocorrência está entre as mais solicitadas segundo as estatísticas do Ciops. A informação é do chefe da equipe que atuou neste resgate, tenente Borges. Ele falou das dificuldades.

“Devido ser um espaço confinado e principalmente aos gases asfixiantes, tóxicos e inflamáveis que podem estar presentes no ambiente pouco ventilado, são riscos biológicos, químicos e físicos que o bombeiro precisa estar preparado com equipamento de proteção respiratório”, afirmou.

Ele ainda descreveu a sensação do trabalho que é tão cheio de riscos e emoção ao mesmo tempo. “É emocionante ver que o animal percebe que estamos tentando ajudá-lo a sair daquela situação, boa parte deles parecem entender. Existe um respeito muito grande pela vida de cada animal retirado, tentamos sempre retirar da maneira que seja rápida e segura para o animal. Muito gratificante para a equipe ver o animal solto”, finalizou.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.