AJUDE HANNA

Criança queimada com óleo de cozinha precisa de ajuda para tratamento

A suspeita do crime seria a vizinha, de acordo com a versão de Hanna Monique; o crime aconteceu no ano passado; menina precisa de recursos para realizar tratamento.
IMIRANTE.COM18/10/2019 às 10h00

SÃO LUÍS - O crime aconteceu em 22 de maio de 2018, no povoado Esperantina, zona rural do município de Santa Luzia do Tide, Maranhão, distante cerca de 350 quilômetros da capital São Luís. A vítima, uma menina de apenas cinco anos, frágil, inocente e sem olhos para as proporções imensuráveis da maldade humana.

Hanna Monique de Sousa Silva, hoje, aos seis anos, enfrenta as dores e as marcas do dia em que foi banhada por uma panela cheia de óleo de cozinha, fervente. A investigada pelo crime, sua própria vizinha, e embora sob os olhos da justiça, ainda não sofreu nenhum tipo de punição.

Hanna Monique, 6 anos, foi banhada por uma panela de óleo de cozinha, fervente. (Foto: Reprodução)

De acordo com a família e a partir da versão de Hanna, ela teria sido chamada pela vizinha para lavar sua louça, momento em que foi levada até a cozinha e quando a mulher a torturou com o óleo quente. A menina sofreu queimaduras de 3º e 2º graus tendo, a partir de então, de abandonar as brincadeiras da infância, e até a rotina escolar, pelos corredores de hospitais.

Em busca pelo tratamento adequado, após três paradas cardíacas, um mês em coma no Hospital Djalma Marques, Socorrão I, na capital maranhense, e sequelas que lhe acompanharão para o resto da vida, a família da menina conta com quase nada para arcar com os custos que tem tido durante essa caminhada em traço pela saúde da pequena.

Menina necessita de recursos para tratamento adequado, uma vez que passará por diversas cirurgias. (Foto: Reprodução)

Dificuldades

A mãe de Hanna está desempregada. A tia, que ajuda no sustento da menina, é doméstica e não consegue levantar renda suficiente para suprir as necessidades da família como um todo. E sua avó, como tantas outras senhoras, nas áreas mais longínquas do interior do Estado, sobrevive a partir da quebra do coco-babaçu.

Pela complexidade do caso e dos cuidados que sua saúde exige, a menina tem vivido em São Luís, com a mãe, na casa de uma conterrânea que se solidarizou com o estado de Hanna. Há, pelo menos, seis meses, a autônoma Anny Kaline vem ajudando Hanna e sua família na tentativa de proporcionar bem-estar à pequena.

“Eu encontrei com Hanna em um almoço para o qual fui convidada. De imediato, quando a vi, fiquei em choque. A roupa que ela estava vestida mostrava todas as marcas e cicatrizes. Desde esse dia, abracei a causa e tenho abrigado ela em minha casa e feito tudo o que posso”, conta.

Mas a história envolvendo Hanna Monique tomou proporções maiores quando o influenciador digital Victor Lima divulgou a história da menina em suas redes sociais. Há quase dois meses, na companhia de Anny Kaline, ele tem tomado as providências necessárias quanto à saúde da garota, que na última semana, inclusive, passou por um procedimento cirúrgico no pescoço para melhor a flexibilidade do local, afetado pelo óleo.

Tio Vitu te ama tanto ❤️Deus tu és fiel, a luta foi grande mas as vitórias são maiores 🙌 agradecemos primeiramente a Deus pelos propósitos na vida da nossa guerreira Hanna, agradecemos também ao Dr. Paulo Morcellim (Cirurgião), Dr Victor (Anestesista) e toda sua equipe pelo sucesso na cirurgia de Hanna. PROCEDIMENTO: EXCISÃO E SUTURA DE LESÃO NA PELE COM PLÁSTICA. Que ela tenha uma boa recuperação e que venha as próximas pois a luta continua e essa foi só a primeira de muitas cirurgias que nossa princesa precisa. Pescoço está liberado. Próximas etapas a região dos olhos e próximo do nariz Agradecemos também aos nossos colaboradores por toda doação, dedicação, carinho pois vcs são 👼 anjos enviados do Senhor sem vocês não teríamos tanto sucesso para dias melhores na vida de Hanna🙌 @annykaline02 @victorlimaoficial02 @hannamonique6 (CONHEÇA A HISTÓRIA DA HANNA NOS DESTAQUES, E NOS OUTROS POSTS ➡️)

Uma publicação compartilhada por Victor Lima (@victorlimaoficial02) em

“O que me chama atenção no caso da Hanna foi o que aconteceu com ela e pela idade que ela tem. Ela, uma criança indefesa, foi vítima de uma pessoa que a gente não pode nem considerar como humana. De imediato, quando tomei conhecimento, me surgiu a vontade de ajudá-la. De lá para cá, tenho feito de tudo para ver ela cada dia melhor”, destaca.

Esse procedimento estético a que a menina foi submetida é o primeiro de muitos que ela terá de fazer, por recomendações médicas, daqui para frente. Como a pele queimada não dispõe de elasticidade, como seria em seu estado normal, ela terá de passar por vários enxertos, por exemplo, até seu crescimento em definitivo.

Campanha

Uma vaquinha online para ajudar Hanna em seu longo percurso de tratamento e melhora física é uma das saídas da menina. Com os altos custos que tem tido desde o ocorrido, recorrer à sociedade tem sido a alternativa da família e dos amigos que acolhem a garota em São Luís. O objetivo da arrecadação é de R$ 50 mil, valor suficiente, acredita-se, para proporcionar conforto à menina pelos próximos anos.

Para ajudar, é preciso acessar a página de doação e depositar o valor que puder – qualquer que seja ele. Outra forma, é realizar transferências ou depósito na conta bancária da mãe de Hanna Monique, também em qualquer valor. Os dados são:

Banco do Brasil

Agência: 4323-0

Conta Poupança: 42317-3

Titular: Joana de Sousa Silva

CPF: 082.494.083-06

Contato: (98) 98554-7481 (Anny Kaline), 98828-0707 (Victor Lima).

DOE

Acesse: www.vakinha.com.br/vaquinha/todos-pela-hanna

Uma vaquinha online foi criada para ajudar Hanna eu seu tratamento contínuo. (Foto: Reprodução)

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.