1º Centro de Interpretação Turístico-Cultural do Brasil

Casa do Maranhão será inaugurada nesta sexta-feira

Estado ganha o primeiro Centro de Interpretação Turístico-Cultural do Brasil.
Imirante.com, com informações da Assessoria18/12/2014 às 08h29

SÃO LUÍS - Uma exposição permanente reunindo história, tradições, patrimônio, artes e saberes que compõem a formação cultural maranhense. Um equipamento com múltiplas possibilidades educacionais erguido com técnicas museológicas contemporâneas. Este é o primeiro Centro de Interpretação Turístico-Cultural brasileiro, a Casa do Maranhão, que será inaugurado nesta sexta-feira (19), a partir das 18h.

Com olhar holístico e visão antropológica, a Casa do Maranhão proporciona aos visitantes um roteiro completo sobre o Estado, reunindo textos, vídeos, softwares e experiências que narram a história desse pedaço do Brasil, a partir das forças que forjaram seu caminho nos campos social, econômico e cultural.

A edificação foi completamente reconfigurada. Vitrine para o Centro Histórico ludovicense e paralelo ao Cais da Praia Grande, o espaço pretende tornar-se o ponto de partida para turistas e uma referência cultural para os maranhenses. “O roteiro de visita deverá não só informar, mas emocionar as pessoas. Dar aos turistas e moradores uma visão geral e ao mesmo tempo detalhada de aspectos que não são passíveis de interpretação, pois o Estado é muito grande e diverso para que se possa conhecer em apenas uma viagem”, explica Patricia Servilha, coordenadora do projeto.

Textos com enfoques literários, poesias, informações técnicas e infográficos ganham destaque na apresentação. Recursos audiovisuais atuais, também, estão a serviço de quem quer experimentar mais o Maranhão. Será possível sobrevoar a capital em uma tela touch screen, discutir verdades e mitos sobre a sua fundação, conhece-la sob o olhar de um fotógrafo do início do século e entender como e porque São Luís tornou-se Patrimônio Mundial.

Lendas, azulejos, embarcações, danças, gastronomia e festas religiosas, também estarão presentes sob a proteção dos santos da Escola Maranhense de Imaginária e descritos em prosa e poesia pelos acadêmicos imortais do Maranhão. A questão da patrimonialização material e imaterial do Estado, ganha destaque na exposição. “Demonstrar a importância da cultura popular e do patrimônio e valorizá-los é também um dos recursos para criar um processo de ‘pertencimento’ do maranhense em relação a São Luís e, também, do brasileiro em relação ao Maranhão”, explica Patricia Servilha.

O público conhecerá os fatos mais marcantes da memória do Estado, como a tentativa de instituir uma colônia francesa, entre outros acontecimentos da história recente. Os visitantes poderão estudar os primeiros mapas, percorrer as ruas do Centro Histórico e conhecer suas principais edificações e atrações. Os detalhes da própria Casa do Maranhão, antigo prédio do Tesouro Estadual datado de 1873, e o Palácio dos Leões, elegante sede do Governo Estadual, estarão ao alcance do público.

Além da capital, será possível explorar o litoral do Estado, segundo maior de toda a costa brasileira, e conhecer como os municípios do interior estão distribuídos no território. No topo da suntuosa escadaria dessa edificação, uma das manifestações mais expressivas do estado: o Bumba-meu-boi, Patrimônio Cultural Brasileiro. O visitante poderá ainda fazer um passeio sonoro pelo reggae maranhense, o som das Caixeiras, Tambor de Crioula, Tambor de Mina e ainda experimentar as festas e danças tradicionais do estado.

As icônicas lendas de Donana Jansen, a da Serpente e tantas outras prometem povoar de fantasia a cabeça dos curiosos. A Casa no Maranhão localiza-se na Rua do Trapiche, em espaço do Governo do Estado. A exposição foi viabilizada pelo Programa de Incentivo à Cultura do Governo Federal, por meio da Lei Rouanet, com o patrocinado da Vale e gerenciamento da Sacma (Associação Artística e Cultural do Maranhão).

Salas para visitação

SALA 1 - 400 +400

SALA 2 - A Visão dos Deuses

SALA 3 - São Luís: Patrimônio Mundial

SALA 4 - A Casa e o Palácio

SALA 5 - Maranhão, uma experiência sensorial

SALA 6 - O Maranhão de Gaudêncio Cunha

SALA 7 - Na minha terra tem palmeiras...

SALA 8 - Fazeres, ofícios, sabores e tambores

SALA 9 - Uma história, vários filmes

SALA 10 - Expressão do Maranhão

SALA 11 - Vem Guarnicê

SALA 12 - Encantado e Imaterial

SALA 13 - As estrelas da brincadeira

SALA 14 - Sotaques e Instrumentos

SALA 15 - Exposições Temporárias: São Luís e a celebração dos 400 anos

SALA 16 - Maranhão Imortal

Horário de visitação

Das terças aos sábados – das 9h às 17h. Domingos das 9h às 13h.

Entrada franca

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2018 - Todos os direitos reservados.