PH | COLUNA SOCIAL

Pergentino Holanda

09/09/2021
O PRODUTOR musical Dudu Braga, que ontem partiu para a eternidade, abraçado com a maranhense Rosário Saldanha, de quem era grande e fraternal amigo

Amigos de Dudu Braga
Filho do cantor Roberto Carlos, o produtor musical Dudu Braga, que morreu ontem aos 52 anos, tinha dois grandes amigos em São Luís: Rosário Saldanha e Fernando Albuquerque.
Rosário, aliás, sempre reuniu amigos para ver, em suja residência no Olho d´Água, o Especial de fim de ano do Rei, na Globo/TV Mirante. Durante o último especial que foi ao ar, Dudu Braga gravou uma mensagem para o casal, exibida antes do show, saudando os seus convidados.
Dudu lutava contra um câncer irreversível no peritônio, membrana que envolve a parede abdominal e estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo.
Sua luta contra a doença vinha desde setembro do ano passado e, mesmo passando por tratamentos, ele teve uma piora em seu estado de saúde nos últimos dias.
O produtor musical já havia vencido duas batalhas contra a doença, quando teve câncer de pâncreas, em 2019.
Também radialista, Dudu deixa a mulher Valeska, com quem era casado há 17 anos e tinha a filha Laura, de cinco anos.
Nascido em 1969, Dudu Braga é um dos quatro filhos de Roberto Carlos. Ele é fruto do casamento do cantor com Cleonice Rossi, que morreu de câncer de mama em 1990.
O produtor musical foi diagnosticado com glaucoma logo ao nascer, o que o levou a perder a visão.

Guardiões da floresta
Um painel internacional sobre a Amazônia vai reunir nesta quinta-feira, às 11 horas, pelo YouTube, especialistas, ativistas ambientais e cidadãos interessados no tema da preservação.
Está prevista a participação de interlocutores de países diversos, além do Brasil, como Argentina, Chile, Peru, Colômbia, Estados Unidos e França.
O debate sobre a necessidade de proteção da floresta será mediado pela modelo e apresentadora Carol Ribeiro, ao apresentar o trabalho em defesa da mata realizado pela cantora paraense Liége, tendo lançado recentemente o álbum Ecdise.
O indígena José Neto será o representante kaeté, pertencente à nação Tupinambá, originária de grande parte das terras onde hoje está o Brasil, enquanto o ilustrador João Queiroz vai abordar o projeto Amazofuturismo, de sua criação.

Centro de Convenções
Será apresentado nesta quinta-feira, o resultado da revitalização e modernização do Centro de Convenções Governador Pedro Neiva de Santana, gerido pelo Sebrae.
O equipamento integra o complexo Multicenter Negócios e Eventos, que também reúne o pavilhão de exposições do Multicenter Sebrae.
O evento está marcado para as 19h e servirá para apresentar ao poder público e à classe empresarial as readequações que foram feitas no espaço para dar mais dinâmica à utilização do prédio.
Além de apresentar as novidades na estrutura do Centro de Convenções, o Sebrae ainda vai apresentar um pouco do movimento Mobiliza SLZ, que tem movimentado a cidade desde o último dia 4, com cerca de 80 ações e eventos voltados para os segmentos de turismo, cultura e economia criativa.

Evandro perdeu Evandro
Nosso colega aqui da Redação de O Estado e grande colaborador desta coluna e do PH Revista Evandro Júnior, sofreu um duro golpe às vésperas do feriado da Independência: seu pai, Evandro Borralho Pereira, 81 anos, sofreu uma parada cardíaca na noite de domingo e na segunda-feira foi sepultado no Cemitério do Gavião. Servidor considerado exemplar,
o Sr. Evandro trabalhou por muitos anos na empresa Souza Cruz.

TRIVIAL VARIADO

Fica o reconhecimento às instituições, empresas e pessoas que investem no esporte paralímpico no Brasil. As medalhas em Tóquio são luminosas, mas mais ainda é o exemplo que fica para milhões de brasileiros com deficiência capazes de se superar e seguir em frente. Eles precisam apenas de oportunidades, não de pena.

Aos 76 anos, o pianista João Carlos Assis Brasil morreu na manhã de segunda-feira, em decorrência de um infarto sofrido em 3 de setembro. Músico versátil e sem preconceitos, ele dedicou-se tanto ao chamado universo erudito quanto à música brasileira. Em São Luís ele realizou um concerto para este Repórter PH nos anos 1980.
Quando Assis Brasil esteve neste Capital, ele apresentou seu trabalho com o jazz. Em 1980, ele fundou, com Zeca Assumpção (baixo) e Cláudio Caribé (bateria), o João Carlos Assis Brasil Trio, que mais tarde contaria com a participação de David Chew (violoncelo) e Idriss Boudrioua (sax).

A ong Press Emblem Campaign divulgou ontem que dos 1.788 profissionais de imprensa que perderam a vida no mundo por conta da Covid, mais da metade era da América Latina. Brasil está no topo da lista, com 280 óbitos. E aqui, ainda teve gente achando que imprensa não era prioridade.

O rei Pelé fará um leilão beneficente em setembro, reunindo itens de grandes ídolos do futebol atual, como Neymar Jr., Cristiano Ronaldo e Franz Beckenbauer, e até de celebridades de fora do esporte, como o cantor Justin Timberlake, em busca de recursos para sua fundação.

No capítulo: o leilão está marcado para 22 de setembro, de forma online (www.juliensauctions.com) e presencial, na Mall Galleries, em Londres, na Inglaterra.

Uma piada é sempre bom para começar o dia. O médico pergunta ao paciente: - Por que você tomou a medicação às seis da manhã se eu disse para você tomar às nove? - Era para ver se eu conseguia pegar as bactérias de surpresa!

DE RELANCE

7 e 11 de Setembro
Dividido em 5 capítulos, o documentário Turning Point, disponível em streaming, revisita o maior atentado terrorista da História com um olhar só possível 20 anos depois. Imagens fortes e depoimentos inéditos desenham de forma mais nítida o antes, o durante e o depois. Se há algo a ser aprendido, é sobre os perigos de uma lógica até hoje sedutora no tabuleiro do poder: os inimigos dos meus inimigos são meus amigos. Foi assim que os EUA adubaram o Talibã, na época em que o grupo combatia a URSS no Afeganistão. A lógica bipolar da Guerra Fria ofuscou a percepção do longo prazo. O problema é que o longo prazo, um dia, chega.

Afro Presença
Idealizado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e com realização da Rede Brasil do Pacto Global da ONU, o Afro Presença de 2021, evento gratuito que tem como objetivo encorajar o diálogo e ações afirmativas para a inclusão de universitários negros no mercado de trabalho, está com as inscrições abertas no site afropresenca.com.br.

Lógica do que está acontecendo
Uma frase que fala muito sobre a lógica do que está acontecendo e do que vai acontecer no Brasil.O site da CNN Internacional trazia anteontem, na capa, o link para uma reportagem mostrando as ligações entre Jair Bolsonaro e a extrema direita dos Estados Unidos. Uma declaração do presidente, dada em Goiânia, dia 28 de agosto, foi incluída na edição do vídeo: “Tenho três opções para o meu futuro: estar preso, estar morto ou a vitória”, disse Bolsonaro, que repetiu a afirmação, dia 7, em São Paulo.

Parabéns a vocês
Tive acesso outro dia a uma foto do começo dos anos 1970, quando o Senac oferecia disputadíssimos cursos de datilografia, um baita diferencial para quem buscava emprego na época. Dia 13 de setembro, o Senac completa 75 anos. A imagem, retirada do arquivo, veio com um lembrete: as tecnologias envelhecem e são substituídas, mas necessidade de se qualificar, não.

É preciso reconhecer...
Impossível saber tudo o que aconteceu no Brasil na última terça-feira. Trabalho com as informações disponíveis. Com elas, reconheço que me enganei. Minha expectativa era de que houvesse brigas e quebra-quebra. Era esse o clima das redes sociais. Independentemente da análise das pautas e do mérito das manifestações, importante reconhecer que não houve vitrines quebradas, barricadas com fogo e invasão de propriedade privada.

Objetivo maior foi conseguido
Da Esplanada dos Ministérios à Avenida Paulista, passando pela praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, e por outras capitais, como São Luís, o presidente Jair Bolsonaro conseguiu atingir o que era seu objetivo desde que passou a viver para o Sete de Setembro: imagens em profusão de apoiadores vestidos de verde e amarelo e sons de gritos contra seus principais alvos. O presidente conseguiu uma espécie de antídoto para usar sempre que as pesquisas mostrarem que está em desvantagem ou que seu governo é mal avaliado.

Os erros da oposição
A oposição pode torcer o nariz para as manifestações bolsonaristas, dizendo que não são representativas ou que ficaram aquém do esperado, mas é inegável que cometeu erros estratégicos em série. O primeiro foi subestimar a capacidade de mobilização das tropas bolsonaristas. O segundo, decorrente desse equívoco, foi marcar protestos para o mesmo dia, sem considerar que as imagens lhes seriam amplamente desfavoráveis, como se viu no Rio de Janeiro, dada a dispersão dos contrários. Tanto é assim que mesmo os líderes dos partidos que estão fechados contra Bolsonaro se dividiram em relação a ir ou não ir para as ruas no Sete de Setembro.

Para escrever na pedra:
“Nós somos o que fazemos repetidas vezes. Portanto, a excelência não é um ato, mas um hábito”. De Aristóteles, filósofo grego.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte