Dia Mundial do Mosquito

Conheça ações preventivas para evitar a proliferação do Aedes aegypti

Especialista da Bayer explica como controlar o inseto, que infectou mais de 1,4 milhão de brasileiros em 2020

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h15
.
. (O mosquito Aedes aegypti transmite dengue, zika e chikungunya)

São Paulo - Malária, Dengue, Zika, Febre Amarela, Chikungunya e Leishmaniose. O que estas doenças têm em comum? Todas elas são transmitidas aos seres humanos por mosquitos, o inseto mais letal do mundo. Anualmente, cerca de um milhão de pessoas no planeta morrem em decorrência da picada destes animais. No Brasil, o mais conhecido é o Aedes aegypti, que, em 2020, infectou mais de 1,4 milhão pessoas com o vírus da dengue, segundo o boletim epidemiológico do Ministério da Saúde.

Por isso, esta sexta-feira, 20 de agosto, é marcada pelo Dia Mundial do Mosquito, data que serve de alerta para a população sobre a importância da eliminação deste inseto. A data também é uma homenagem ao médico britânico Ronald Ross, que em 1897 descobriu que a fêmea do mosquito Anopheles era o vetor de transmissão aos seres humanos da malária.

Fernando Bernardini, gerente de desenvolvimento de soluções da Bayer, explica quais cuidados que a população pode tomar para controlar a proliferação desta praga. "Os mosquitos entram nas casas quando encontram um ambiente propício, em que haja os chamados "4As": água, alimento, acesso e abrigo. Para evitar que isso ocorra, às vezes, é preciso mudar alguns hábitos. Por exemplo, lavar sempre a louça, não deixar água à vista e nunca acumular lixo", ressalta Bernardini.

Como prevenir?
A prevenção mais eficaz é manter os ambientes protegidos e higienizados. "Manusear e descartar o lixo da forma correta vedando bem os sacos, manter garrafas de boca para baixo, furar e eliminar latinhas, tapar ralos são medidas importantes", diz Fernando. Também é essencial manter os jardins sem água parada e aparados, o que favorece a circulação de ar.

É preciso lembrar que o Aedes aegypti - quando entra nas casas - prefere ambientes baixos e sem exposição solar: atrás da porta, dos móveis, das cortinas e embaixo da mesa. "Usar telas mosqueteiras nas janelas e portas, criar o hábito de fechar a casa próximo do anoitecer, usar repelentes e aplicar inseticida nos locais que os mosquitos costumam se alojar são ações importantes para o controle da praga", reforça Bernardini.

Outra medida é ficar atento aos vasos de planta que acabaram de ser regados. "Isso é fundamental para impedir a proliferação de criadouros de mosquitos, já que em países tropicais, como o Brasil, as altas temperaturas e o grande volume de chuvas são fatores que favorecem a multiplicação dos mosquitos", finaliza Fernando.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.