Geral | Remessa

Maranhão recebe do MS mais 277.700 doses de vacinas contra a Covid-19

Novo lote contém imunizantes da AstraZeneca, Pfizer e CoronaVac e será entregue em 3 dias; para o Brasil, serão distribuídas, nesta remessa, 8,7 milhões de doses
Daniel Matos / O Estado21/07/2021
Maranhão recebe do MS mais 277.700 doses de vacinas contra a Covid-19Remessa chegará em três dias aos estados e ao DF, segundo previsão (Divulgação)

São Luís - O Maranhão receberá, nos próximos dias, mais 277.700 doses de vacina contra a Covid-19 AstraZeneca/Oxford, produzidas pela Fiocruz e fornecidas pelo consórcio Covax Facility; Pfizer Cominarty e Sinovac/Butantan. Os imunizantes destinam-se aos seguintes grupos prioritários: portadores de comorbidades e de deficiência permanente, pessoas de 59 a 54 anos, pessoas de 54 a 50 anos, gestantes e puérperas. O estado receberá, ainda, do Ministério da Saúde, 38.100 agulhas e 304.400 seringas com agulha.

Da AstraZeneca, serão enviadas ao Maranhão 180.900 doses. Outras 36.270 doses da Pfizer serão distribuídas ao estado. A nova remessa inclui, também, 60.600 doses do imunizante produzido pela Sinovac/Butantan (CoronaVac).

As informações detalhadas sobre o novo lote de vacinas e as orientações sobre a imunização podem ser consultadas no 29º informe técnico, disponível no site do Ministério da Saúde (www.saude.gov.br).

Para todo o Brasil, serão distribuídas, nesta remessa, 8,7 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19. A previsão é de que, em três dias, estados e Distrito Federal recebam novos lotes para reforçar ainda mais a campanha de vacinação, que já caminha em ritmo acelerado.

Serão distribuídas 4,4 milhões de doses da AstraZeneca/Oxford, produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e 1,036 milhão de doses da AstraZeneca/Oxford, recebida pelo consórcio Covax Facility. Além disso, chegam às unidades da Federação 1,5 milhão de doses da Pfizer/BioNTech e 1,7 milhão de doses da Coronavac, fabricada pelo Instituto Butantan.

Fronteiras

Acre, Amazonas, Roraima, Pará, Amapá e Santa Catarina irão receber doses extras para vacinar os brasileiros que moram na fronteira com outros países. Também estão sendo enviadas vacinas para primeira dose de pessoas entre 50 e 59 anos, fora dos grupos prioritários, e segunda dose de pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas com comorbidades, e pessoas com deficiência permanente. No Paraná, Queiroga vacina brasileiros que moram nas fronteiras.

Distribuição

A estratégia de distribuição de vacinas Covid-19 é definida em reuniões entre União, estados e municípios, observando as confirmações do cronograma de entregas por parte dos laboratórios. O objetivo é garantir a cobertura vacinal no tempo recomendado. Para a vacina da AstraZeneca e da Pfizer, o intervalo é de 12 semanas. Já a do Butantan, o intervalo é de 4 semanas.

Agulhas e seringas

Além das vacinas, o Ministério da Saúde também entregará aos estados e Distrito Federal nos próximos dias mais de 9,3 milhões de seringas e agulhas de 1ml e de 3ml. As orientações de vacinação e a divisão das doses por Unidade da Federação estão no 29º informe técnico.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte