Investigação

Ministério Público apura a morte de jovem em Porto Franco

A vítima teria tido um surto, andando despida em plena via pública, e foi encontrada morta no rio Tocantins

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h16
.
. (rio)

A 1ª Promotoria de Justiça de Porto Franco está apurando as causas da morte de Luís Carlos Almeida, de 19 anos, ocorrida no último dia 4. O jovem teria tido um surto psicótico, andado despido em plena via pública e se atirou no rio Tocantins, em Porto Franco.

A investigação foi instaurada pelo promotor de Justiça, Eduardo André de Aguiar Lopes. De acordo foi informado pelo Núcleo de Promoção da Diversidade do Ministério Público do Maranhão (Nudiv) e noticiado em diversos veículos de comunicação, com fotos e gravações em vídeo, antes de se jogar no rio, o jovem em surto psicótico e despido percorreu aproximadamente 2 km passando pelos pontos mais movimentados da orla da cidade de Porto Franco.

No decorrer do percurso, ele foi visto por diversas pessoas e ainda foi escoltado por agentes da Polícia Rodoviária Federal, mas ninguém interferiu. Somente no dia seguinte seu corpo foi resgatado do rio Tocantins. “Nesse primeiro momento tomei o cuidado de identificar todas as possíveis provas sobre o caso, como vídeos, informações sobre o seu estado de saúde e a situação familiar. Também vou entrar em contato com os familiares para que possam ter conhecimento e acesso a direitos em razão do caso”, informou Eduardo André Lopes.

Prisões

O foragido do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, Pedro César Paz, PC do Maranhão, foi capturado ontem pelos agentes da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise), na cidade paulista de Rio Claro.

A polícia informou que o criminoso, no momento da abordagem, apresentou um documento tirado legalmente em Goiás, mas com dados falsos, e foi reconhecido após análise das impressões digitais. Ele tem, pelo menos, três mandados de prisão pelos crimes de homicídio, roubo e porte de arma, nas cidades de Timon e São Luís.

Pedro César foi um dos 36 detentos que fugiram de Pedrinhas, no dia 21 de maio de 2017. Destes, cinco morreram e 15 foram recapturados logo depois ação criminosa. Um grupo criminoso armado com fuzis conseguiu explodir uma parte do muro do antigo Centro de Detenção Provisória e atirou contra os agentes penitenciários para que os presos de duas celas do Pavilhão Gama pudessem fugir. Segundo a polícia, o ataque tinha como objetivo resgatar sete internos ligados a quadrilha interestadual especializada de roubo a banco.

A polícia encaminhou ontem um idoso, de 60 anos para o presídio, em Açailândia. Segundo a polícia, ele foi preso na segunda-feira, 7, acusado de violentar sexualmente a própria bisneta, de 6 anos, na Vila Capeloza, zona rural de Açailândia. Havia imagens do ato criminoso no celular do acusado.

Também ontem foi preso um homem, nome não revelado, acusado de tráfico de droga, na Vila Embratel. Em poder dele, a equipe da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc) apreendeu maconha, cocaína, material para embalar droga e dinheiro trocado.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.