Política | Debate

Senadora do MA discute com Flávio Bolsonaro em 1ª sessão da CPI da Pandemia

Senador do Rio de Janeiro ironizou a não participação de mulheres na comissão e Eliziane Gama reagiu
José Linhares Jr28/04/2021 às 09h01
Senadora do MA discute com Flávio Bolsonaro em 1ª sessão da CPI da PandemiaEliziane Gama não gostou de ironia de Flávio Bolsonaro e reagiu (Reprodução)

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) teve uma discussão áspera com o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) no Senado. A situação aconteceu após o senador lamentar a ausência de mulheres na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia. Ela entendeu a fala do senador como provocação e reagiu.

Em sua primeira fala, ainda no início da sessão, a senadora maranhense enalteceu a importância da CPI da Pandemia. Ela também defendeu a indicação do senador Renan Calheiros (MDB-AL) para o cargo de relator da CPI. “Quero precocemente cumprimentar o colega Renan e desejar muito sucesso”, disse Eliziane antes da eleição que definiu os cargos na comissão.

No fim da sua fala, a parlamentar falou da ausência de mulheres entre os membros da CPI. “Infelizmente nessa comissão nós não temos a participação feminina. Quero deixar aqui esse registro”, lamentou.

A fala da senadora foi seguida pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e pelo senador Flávio Bolsonaro.

“Em primeiro lugar eu gostaria de registrar que as mulheres já foram mais respeitadas e mais indignadas. Estão fora da CPI e não fazem questão de estar nela.”, disse o filho do presidente da República.

Mesmo sem ser citada, Eliziane pediu a fala para retrucar a fala do senador. “Eu, e nenhuma das senadoras, vamos admitir ironia machista em relação às mulheres (...) Nenhum homem vai tentar calar a voz de uma mulher. Não admito que vossa excelência questione a nossa indignação”, disse Eliziane em tom elevado de voz.

A discussão entre os dois foi encerrada após intervenção do senador Otto Alencar (PSD-BA).

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte