Cidades | Mudanças no tempo

Previsão é de chuvas fortes e raios para o mês de abril em São Luís

Mesmo com a redução das chuvas, devido a mudanças nos mares, Núcleo de Meteorologia da Uema prevê cerca de 450 mm de água para todo o mês e explica causa do calor forte nas primeiras semanas deste mês
Bárbara Lauria / O Estado10/04/2021
Previsão é de chuvas fortes e raios para o mês de abril em São LuísIncidência de raios é comum nesta época do ano, principalmente neste mês, e cuidado deve ser redobrado (De Jesus / O ESTADO)

São Luís – Abril é considerado um dos meses que apresentam maior índice pluviométrico na capital, de forma histórica, e na região do norte do Maranhão. Neste ano, a previsão não é diferente. De acordo com o Núcleo de Meteorologia da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), o previsto é de que até o fim do mês chova em torno de 450 mm, com direito a tempestades acompanhadas de raios.

Os dados disponibilizados pelo Núcleo mostram que, em São Luís, nos primeiros sete dias deste mês, já choveu cerca de 25,1 mm. Já em março, foi alcançado 430 milímetros de chuva na capital, após aumento no índice de chuvas no fim do mês. As chuvas de março causaram, inclusive, em diversos pontos da cidade, alagamentos e danos.

Raios
Raio é uma descarga elétrica de grande intensidade que ocorre na atmosfera, entre regiões eletricamente carregadas, e pode dar-se tanto no interior de uma nuvem, como entre nuvens ou entre nuvens e terra. Esse fenômeno é capaz de ferir, matar, incendiar, quebrar estruturas, derrubar árvores e abrir buracos ou valas no chão. É consequência da existência de cargas elétricas opostas entre dois centros de cargas, causando uma atração muito forte, que rompe a capacidade de isolamento do ar.

Além das chuvas, também há previsão para o aumento de raios durante este mês, o que é um fenômeno comum nesta época do ano, como explica Hallan Cerqueria, meteorologista. “Não só em São Luís, mas no norte e nordeste do Brasil é comum essa grande incidência de raios durante o período de chuva, por conta da zona de convergência intertropical que provoca grandes convecções atmosféricas, que é um dos principais ingredientes para a produção de raios”, ressaltou.

Calor e mudança nos mares
Outro fenômeno que tem ocorrido em São Luís e foi apontado pelo Núcleo, são as ondas de calor que ocorreram nas primeiras semanas de abril. De acordo com o meteorologista, esse fenômeno ocorre devido a modificações no oceano, e, apesar de não ser comum durante o período chuvoso, tem se tornado constante desde os últimos anos em São Luís.

“Não é uma situação comum no período chuvoso, mas há anos em que acontece, principalmente quando o oceano Atlântico não está favorável, como é o caso desse mês. O Atlântico norte está ligeiramente mais quente que o sul e isso faz com que o transporte de umidade não aconteça da forma que normalmente acontece”, explicou Hallan.

O meteorologista ainda ressaltou que esse fenômeno pode sim causar a redução de chuvas, pois sem o transporte de umidade e sem convecção não há chuva, porém, a previsão contínua sendo de aumento de chuvas para os próximos dias. O fenômeno também ocorreu nos meses de fevereiro e março, que não ficaram com as chuvas abaixo do normal, mas houve uma má distribuição mensal das águas.

SAIBA MAIS

Como se proteger dos raios

O raio vem sempre acompanhado do relâmpago (intensa emissão de radiação eletromagnética também visível) e do trovão (estrondo). Portanto, alguns cuidados precisam ser seguidos, para evitar ser atingido por uma dessas descargas elétricas. Quando estiver na rua, evite lugares que ofereçam pouca ou nenhuma proteção contra raios, como pequenas construções vulneráveis, como celeiros, tendas ou barracos; e estruturas altas, tais como torres de linhas telefônicas e de energia elétrica.

Alguns locais são extremamente perigosos quando estiver caindo raios, como áreas abertas, incluindo campos de futebol, quadras de tênis e estacionamentos; alto de morros ou no topo de prédios; cercas de arame, varais metálicos, linhas aéreas e trilhos; e debaixo de árvores isoladas. Quando estiver em veículos, evite estacionar próximo a árvores ou linhas de energia elétrica e também o contato com qualquer objeto metálico próximo ao veículo.

Em casa, não use telefone (o sem fio pode ser usado), Não fique próximo a tomadas, canos, janelas e portas metálicas. Também não toque em equipamentos que estejam ligados à rede elétrica.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte