Geral | Análise

Celulares representam 84% de ferramenta de trabalho remoto das classes D e E

Pessoas classificadas pelas classes A e B utilizam apenas 22% dos aparelhos celulares para trabalhar em ambiente remoto
18/03/2021 às 16h30
 Celulares representam 84% de ferramenta de trabalho remoto das classes D e E. (Divulgação)

São Paulo - Durante a pandemia do Covid-19, o uso de celulares para atividades remotas de trabalho pelas classes C, D e E são quase quatro vezes maiores do que nas classes A e B. Essa análise foi computada pelo Melhor Plano, plataforma de telecom de comparação de preços de planos de internet, a partir dos microdados da pesquisa TIC Domicílios, produzida pelo Centro Regional para o Desenvolvimento de Estudos sobre a Sociedade da Informação (Cetic).

As pessoas classificadas pela classe C utilizam 51% a mais de celulares do que outros dispositivos para trabalhar. E pessoas entre as classes D e E utilizam cerca de 84% de celulares, do que outros dispositivos, como notebook e computador de mesa, para fazer o seu trabalho remoto durante a pandemia.

As pessoas classificadas pelas classes A e B utilizam apenas 22% dos aparelhos celulares para trabalhar em ambiente remoto, número quase duas vezes menor apontado pela classe C; e quase três vezes menor pelas classes C e D. Como principal ferramenta de trabalho das classes A e B estão o notebook, com 52%, e o computador de mesa, com 25% de uso.

“O uso de celular para atividades remotas torna-se o recurso mais barato e democrático para os brasileiros das classes C, D e E, já que os planos controle e pós-pago ficaram mais acessíveis nos últimos anos. Em 2020, por exemplo, o acesso ao pós-pago se equiparou ao pré-pago, segundo os últimos microdados da Anatel”, comenta Felipe Byrro, co-fundador do site Melhor Plano.

Escolaridade influencia no uso de celulares para trabalhar
O aumento do uso de aparelhos celulares para atividades remotas entre as pessoas ainda varia, dependendo do grau de escolaridade. Quase 70% das pessoas com ensino fundamental dizem utilizar o aparelho de celular para trabalhar. As pessoas com ensino superior utilizam muito menos o aparelho celular (21%) e mais o notebook para trabalhar (56%).

Uso de celulares por idade
Já as pessoas com mais de 60 anos optam por utilizar notebooks para trabalhar (67%), seguido do computador de mesa (29%) e o celular quase não utilizam, representando apenas 4% nessa faixa etária.

Números bem diferentes das faixas 16-24 anos (56%), 25-34 anos (44%), 35-44 anos (38%) e 45-59 anos (27%), que utilizam o aparelho celular para trabalhar em atividades remotas.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte