Cidades | A referência para a educação dos cegos na capital

Importância: 53 anos de história e dedicação para quem não enxerga

Atualmente com 120 alunos matriculados, mas com atividades suspensas desde março, por causa da pandemia da Covid-19, a Escola de Cegos luta para sobreviver; ajuda de abnegados mantém a instituição viva
Thiago Bastos / O Estado 21/11/2020

São Luís - Na década de 1960, o Brasil ainda engatinhava quanto à implantação de políticas públicas voltadas para pessoas com “deficiência” ou com “necessidades especiais”, como eram citados à época. Com o início da Ditadura Militar, a política educacional voltada para pessoas com deficiência era tratada como “missão à parte”, definida como a política que fosse possível de ser adotada.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

Assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte