Cidades | VITÓRIA

Após cinco meses lutando contra as sequelas do Covid, pai recebe alta no dia do aniversário da filha

Em agosto, um emocionante encontro foi proporcionado pela equipe multiprofissional do HU-UFMA para diminuir a saudade entre pai e filha
Da assessoria 16/09/2020 às 11h59
Após cinco meses lutando contra as sequelas do Covid, pai recebe alta no dia do aniversário da filhaReprodução

São Luís - Nesta terça-feira, 15, o encontro entre pai e filha finalmente não terá hora para acabar. Após pouco mais de cinco meses internado, o bilheteiro Diego Almeida, 33, finalmente recebeu alta e pôde ir para o aconchego de sua casa e de sua família. “Hoje é um dia muito especial, o Diego está recebendo alta, finalizando mais uma etapa, de tantas que ele já enfrentou e que ainda vai ter que enfrentar. Estamos levando nosso milagre para casa e em um dia mais que especial, pois hoje é o aniversário da Sofia e ela diz que o pai vai melhorar assim que ele chegar em casa, porque ela vai curá-lo com o seu amor. E a gente não duvida disso, pois o Senhor reconhece o coração dela” afirma a esposa do Diego, Gabriela Castro.

Em agosto, um emocionante encontro foi proporcionado pela equipe multiprofissional para diminuir a saudade entre pai e filha. Com uma recuperação gradual, entre as primeiras palavras sussurradas, estava o nome de sua filha Sofia. Do outro lado, uma menina que revelou o desejo de cuidar do seu pai para que ele pudesse se recuperar mais rápido. Esses pequenos gestos fizeram com que a equipe providenciasse um reencontro com todo o cuidado. Que foi marcado por muita emoção, mas com hora para acabar.

E hoje, toda a equipe está em festa, com o coração cheio de gratidão por terem feito parte dessa história tão contagiante. Diego ficou internado na UTI Covid por 43 dias, e depois seguiu internado na enfermaria da Unidade de Cuidados Clínicos Adultos do Hospital Universitário da UFMA/Ebserh recebendo cuidados voltados para sua reabilitação até hoje, mas o cuidado não para por aí, como explica o médico e chefe da Unidade de Cuidados Clínicos do Adulto, Kayle Cunha “ Diego é um paciente extremamente resiliente, que contou com o apoio de todos, principalmente de sua esposa e de sua filha. Desde o início ela colocou que seu pai só iria melhorar quando ela passasse a cuidar dele. Então foi um desafio para toda a equipe, tentar viabilizar esse encontro e foi uma grata surpresa o processo de melhora dele depois desse dia. Gradativamente vem recuperando parte de suas funções neurológicas e hoje, recebe alta, mas o cuidado não para por aqui, pois teremos uma equipe específica que vai acompanhá-lo em sua residência, assim como, a equipe do Programa Melhor em Casa do Ministério da Saúde que continuará a prestar os cuidados necessários para o restabelecimento dele. ”

Gabriela fez questão de deixar o seu agradecimento a todos “Estamos muito felizes em poder leva-lo para casa para continuar a reabilitação. A gente crê que o Diego ainda tem muitas coisas para evoluir, se Deus permitir, vai voltar a andar, a falar, a trabalhar, a fazer todas as atividades que ele gostava. Queria agradecer a todos os profissionais do hospital, por terem dado o seu melhor, por serem presentes junto com a gente todo o tempo. Quero agradecer aos que sempre estiveram ao nosso lado nos auxiliando, nos dando força, nos acolhendo na hora do desespero, que nos ensinaram a como trabalhar como o Diego, de que maneira agir com ele no dia-a-dia e que nos possibilitaram chegar nesse momento.

O Diego é um milagre. Depois de 43 dias de UTI, a gente nunca chegou a imaginar que uma coisa dessas iria acontecer, mas Deus nos possibilitou que ele saísse da UTI, já estamos aqui a cinco meses e uns dias e hoje estamos recebendo alta, graças a Deus”.

Ela deixa também um pedido especial “Quero pedir que continuem orando, porque a luta não acabou, a gente está só iniciando um novo processo, em casa, no ambiente familiar que ele ama, que ele se sente bem e será muito bem acolhido. ”

Sobre a Ebserh

Desde janeiro de 2013, o HU-UFMA é filiado à Ebserh, estatal vinculada ao Ministério da Educação que administra atualmente 40 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

O órgão, criado em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações nas 50 unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte