Entrevista

Conselho destaca papel do químico durante pandemia

Professor do IFMA e membro do CRQ-XI, Rogério Teles cita atuação do profissional na produção de saneantes

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h19
Rogério Teles frisa que atuação do químico vai além da sala de aula
Rogério Teles frisa que atuação do químico vai além da sala de aula (sindicato dos químicos)

SÃO LUÍS - Os químicos estão entre as categorias de profissionais mais valorizados nesta pandemia do novo coronavírus. São requisitados na fabricação do álcool em gel, alertam para os perigos da sanitização irregular e do uso doméstico de saneantes, como a água sanitária. Recentemente, cientistas da equipe da Universidade de Campinas (Unicamp) adaptaram um tecido especial, que já existia no mercado, paras a produção de máscaras faciais, proporcionando maior barreira contra o vírus, entre outros benefícios.

Nesta semana, em que se comemora o dia do químico (18), o professor de Química do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) e membro do Conselho Regional de Química do Maranhão (CRQ-XI), Rogério Teles, aborda a importância deste profissional.

Por que o sr. avalia que a Química é taxada de matéria difícil por alunos do Ensino Médio?

Rogério Teles- Muitas vezes, os estudantes já não gostam de Química antes mesmo de começar a estudá-la, colegas ou familiares já o alertaram da disciplina. Cabe a nós professores revertermos isso, mostrarmos que não se trata de algo tão difícil assim e sua relação com o cotidiano das pessoas.

Além das salas de aulas, onde atuam os químicos?

Embora invisível aos olhos de muitos, o profissional da química é imprescindível para que tenhamos uma boa qualidade de vida na sociedade moderna. Esses profissionais atuam em muitas áreas, tais como: análises, petróleo, alimentos, cosméticos, medicamentos, biocombustíveis, bebidas, controle de qualidade, perícias, celulose, dentre outras. Também desenvolvem pesquisas e produtos com alimentos, polímeros, medicamentos, cosméticos, perfumes, insumos para a construção civil, alimentos, bebidas, minerais metálicos e não-metálicos, inseticidas e adubos, fibras e materiais têxteis, tintas e solventes.

Qual a importância da fiscalização nestes estabelecimentos para que existam químicos responsáveis na equipe e quais os males que a ausência deles podem ocasionar à saúde dos consumidores?

Por lei, toda empresa que se relaciona com a área da Química precisa ter em seu quadro profissionais habilitados e registrados no CRQ de sua jurisdição. Muitas vezes, a falta desse profissional só é verificada pelas fiscalizações dos Conselhos Regionais os quais notificam empresas infratoras e as obriga a contratar os profissionais. Essa ação dos CRQ’s, além de dar garantia à sociedade de que os serviços serão prestados com segurança e com correção, garante uma maior inserção de químicos no mundo do trabalho.

Na sua opinião, as pessoas se dão conta de que a água potável que consomem foram tratadas e atestadas por químicos?

Pois é, isso está dentro da invisibilidade das atividades dos profissionais da Química. Mas são químicos responsáveis que garantem eficácia do tratamento de água, da produção de saneantes, cosméticos, alimentos industrializados, combustíveis, dentre tantos outros produtos que consumimos cotidianamente.

Nesta pandemia, quais exemplos o sr. destacaria como fundamentais no combate ao novo coronavírus?

Atuação, orientação e consultoria na produção de saneantes, como soluções de hipoclorito de sódio, quaternários de amônio e álcool em gel, por exemplo. Os CRQs continuarão suas fiscalizações descobrindo, inclusive, fraudadores desses produtos. Além do trabalho dos pesquisadores na busca de novos produtos e serviços para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

E sobre as máscaras produzidas por “tecido inteligente”, o que os químicos descobriram?

Na verdade, são tecidos que já vinham sendo testados ou usados para outras finalidades, como roupas térmicas ou que não produzem odor. Nesse caso, especificamente, trata-se de um tecido que traz, em sua composição, nanopartículas de prata o que impede a reprodução de microrganismos, dentre eles o coronavírus.

Os químicos também estão atuantes nos testes de remédios contra o vírus?

Não apenas de medicamentos contra o coronavírus, mas muitos pesquisadores da área da química estão sempre produzindo e/ou testando substâncias que possam ter ação no tratamento de doenças diversas.

O sr. afirmaria que a Química é uma ciência necessária à vida?

Sem dúvida. Somos pura Química, e dependemos de uma infinidade de substâncias e reações químicas para nos manter vivos. Desde substâncias comuns, como o gás que respiramos, o oxigênio (O2), e a água (H2O), até moléculas bem mais complexas.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.