Fomento

Crédito de R$ 11 milhões a empreendedores do MA na pandemia

Recursos do FNO e FNE destinam-se a autônomos e produtores rurais dos estados da região Nordeste

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h20
Crédito fomenta atividades prejudicadas pela pandemia de Covid-19
Crédito fomenta atividades prejudicadas pela pandemia de Covid-19 (crédito)

São Luís - Empreendedores e produtores rurais do do Maranhão já contataram R$ 11,1 milhões das linhas emergenciais de crédito dos Fundos Constitucionais de Financiamento destas regiões – respectivamente FNO e FNE –, criadas para mitigar os impactos econômicos da pandemia de Covid-19. Somadas, as regiões Norte e do Nordeste já contraíram financiamentos da ordem de R$ 220,7 milhões dos fundos. Foram disponibilizados, desde meados de abril, R$ 5 bilhões para as duas macrorregiões.

Os recursos são administrados pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e concedidos por meio de bancos públicos: Banco do Nordeste e Banco da Amazônia. São R$ 3 bilhões destinados aos estados nordestinos, enquanto outros R$ 2 bilhões atendem o Norte.
“Os Fundos Constitucionais são instrumentos para fomentar a economia. Esse apoio, sobretudo em um momento assim, é ainda mais importante e garante fôlego financeiro a autônomos e pequenos comércios. É o olhar atento do Governo Federal para essas pessoas”, destaca o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

As concessões a partir do FNE somaram R$ 164,4 milhões e 2.159 financiamentos até 19 de maio. O maior volume de contratos foi na Bahia, onde foram firmadas 478 operações, somando R$ 36,9 milhões. Em Pernambuco, foram R$ 30,1 milhões em 397 contratos.
Os empreendedores do Ceará acessaram R$ 17,9 milhões (236 contratações), enquanto os do Rio Grande do Norte movimentaram R$ 12,9 milhões (175 contratos). Na sequência, aparecem Paraíba, com R$ 13,5 milhões (170 acordos); Piauí, com R$ 11,9 milhões (164 operações); Maranhão, com R$ 11,1 milhões (146 contratos); Alagoas, com R$ 5,4 milhões (70 operações ); e Sergipe, com R$ 4,4 milhões (59 financiamentos).

Trabalhadores autônomos, pequenos comércios e cooperativas em municípios do Norte de Minas Gerais e parte do Espírito Santo, também na área de atuação do FNE, tiveram acesso a R$ 19,9 milhões em 264 contratos.

No Norte do País, até o momento, foram 722 operações de crédito realizadas em todas as unidades da macrorregião. Os valores concedidos pelo FNO Emergencial somam R$ 56,3 milhões. Lideram o volume de contratações os seguintes estados: Pará, com R$ 15,1 milhões em 186 financiamentos; Rondônia, com 172 operações e R$ 12,8 milhões para investimentos; Tocantins, com 132 contratos e R$ 9,3 milhões em recursos; Acre, onde 99 operações movimentaram R$ 8,3 milhões; e Amazonas, com 128 financiamentos que somaram R$ 7,8 milhões.

Em Roraima, empreendedores contrataram R$ 1,6 milhão em 24 operações de crédito. Já no Amapá, os 14 financiamentos somam investimentos de R$ 1,2 milhão.

Mais recursos disponíveis

Ao todo, R$ 6 bilhões foram disponibilizados para operações emergenciais por meio dos Fundos Constitucionais de Financiamento. No Centro-Oeste, com total de R$ 1 bilhão para crédito, os contratos ainda serão viabilizados pelo Banco do Brasil, responsável pela operacionalização dos recursos do FCO – Fundo destinado à região.

A orientação do Governo Federal é de pulverizar as aplicações dos recursos chegando ao máximo de beneficiários e municípios possível.

Apoio durante a pandemia

Entre 16 de março, período que coincide com o início da pandemia, até a última quarta-feira (19), produtores rurais e empreendedores do Norte e do Nordeste já contrataram mais de R$ 7,6 bilhões do FNO e do FNE. O montante engloba as linhas emergenciais e as operações regulares de concessão de financiamentos pelos bancos operadores.

Distribuição

Na região Nordeste, foram movimentados R$ 6,4 bilhões nos últimos dois meses, sendo R$ 5,3 bilhões destinados ao atendimento de setores urbanos e outro R$ 1,1 bilhão para atividades rurais. Foram contratadas cerca de 810 mil operações no período.

A maior parte dos financiamentos beneficiou o micro, pequeno e médio produtor, com R$ 4,6 bilhões para mais de 800 mil operações de crédito. Os empreendimentos de grande porte captaram R$ 1,6 bilhão em 163 contratos.

Para as atividades econômicas da região Norte, foram financiados cerca de R$ 1,2 bilhão. As mais de 4,1 mil operações financeiras nos últimos dois meses beneficiaram, principalmente, segmentos de menor porte, com R$ 804,2 milhões.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.