DOM | Plantas Medicinais

Especialista em plantas medicinais dá dicas para aumentar a imunidade

Farmacêutica Kallyne Bezerra exemplifica com a mistura de ingredientes como própolis, sabugueiro e abacaxi
Evandro Júnior / O Estado21/03/2020
A unha de gato (Uncaria tomentosa) pode ser usada em cápsulas

Gengibre, açafrão, própolis, unha de gato, casca de abacaxi e flores e frutos do sabugueiro são algumas plantas medicinais que atuam no aumento da imunidade e contribuem para amenizar os sintomas de viroses, bactérias, fungos e vários tipos de patologias. Quem afirma é a farmacêutica Kallyne Bezerra, coordenadora estadual do programa Farmácia Viva Hortos Terapêuticos e especialista em plantas medicinais, fitoterápicos e olhos essenciais. Ela ressalta que, acima de tudo, não há cura por meio de plantas fitoterápicos e óleos, mas que é possível aliviar os males do corpo e da alma, diminuindo a ansiedade, o que também se aplica aos estados psicológicos agravados com o aparecimento da Covid-19.

Farmacêutica Kallyne Bezerra


Kallyne Bezerra afirma que o gengibre e o açafrão precisam ser utilizados constantemente na alimentação, principalmente neste período de combate ao coronavírus. “Como condimento associado à carne, franco e arroz, por exemplo, pois tem propriedades que atuam diretamente nos leucócitos, ativando o sistema imunológico. Ao adicionar o gengibre, em pó ou rodelas, ao suco de limão ou acerola ou casca do abacaxi, por exemplo, é importante que a bebida seja ingerida na mesma hora, para evitar a perda de vitamina C, que sofre processo de oxidação muito rapidamente”, explicou.

Com relação ao uso do própolis, a especialista diz que podem ser usadas gotas diárias em sucos ou água, mas tendo cuidado na dosagem. “Para adultos, usar entre 15 a 20 gotas. Já crianças, de 5 a 8 gotas, utilizando o extrato de própolis, se possível, sem álcool”, frisa.

o gengibre e o açafrão precisam ser utilizados constantemente na alimentação


A unha de gato (Uncaria tomentosa) pode ser usada em cápsulas (farmácia de manipulação) ou na forma de chá e é indicada para favorecer o aumento dos leucócitos, importantes na defesa do organismo. Kallyne ensina que a casca de abacaxi atua nos processos respiratórios, pois contém a substância bromelina, que age como anti-inflamatório. “Mas, atenção: pessoas que utilizam AAS (ácido acetil salicílico) e demais anticoagulantes devem evitar o uso do suco da casca de abacaxi”, frisa a farmacêutica.

As flores e os frutos do sabugueiro podem ser usados como xarope (farmácia de manipulação), mas jamais se deve utilizar a folha do sabugueiro, de acordo com a farmacêutica, pois que ela é altamente tóxica. Com relação à inalação com óleo essencial de eucalipto, ela explica que se pode utilizar de 8 em 8 horas, no difusor ou passando uma gota nas mãos ou pulso para inalar. Kallyne, no entanto, faz uma ressalta a repeito de qualquer indicação para pessoas idosas.

A casca de abacaxi atua nos processos respiratórios, pois contém a substância bromelina


“Em se tratando de qualquer planta ou fitoterápico, os idosos precisam utilizar na posologia adequada à sua idade, respeitando sua medicação de uso crônico, uma vez que pode causar interações medicamentosas”, finaliza a farmacêutica, bastante conhecida nas redes sociais (@kallynebezerracosta) e há 20 anos atua na área de fitoterápicos e plantas medicinais, sendo há cinco anos trabalhando também com óleos essenciais.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte