Alternativo | Crítica

O imagem-corpo e a música-alma

Novo longa de Frederico Machado, que estreou recentemente no Festival de Brasília, é, segundo o crítico Marco Fialho, forte, perturbador e delirante
Marco Fialho30/11/2019

Um filho acompanhado de uma mulher volta para a casa em região ribeirinha após o pedido do pai. Chegando lá se confronta com seu nebuloso passado e terá que decidir sobre o seu futuro. Esse é o fio de história que Frederico Machado nos apresenta em "Órbitas da água", dividida em três partes: órbitas, lodo e água. Tudo o mais são peças e fragmentos a serem conectados pelos espectadores no decorrer de pouco mais de uma hora de duração. O filme é o quinto longa de Frederico e o que fecha a trilogia dantesca ("Exercício do caos" e "O Signo das tetas"), inspirada na obra poética de seu pai, o poeta Nauro Machado.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte