Experiências

Comandante de operações da FN compartilha experiências em desastres

O tenente-coronel Vandernilson Peres da Silva, da Força Nacional, abordou ações nacionais e internacionais em palestra no Senabom

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h22
Comandante relembrou situações emocionantes e difíceis
Comandante relembrou situações emocionantes e difíceis ( tenente-coronel Vandernilson Peres da Silva)

Buscas em Brumadinho, resgate e ajuda humanitária em Moçambique e o combate a incêndios florestais na Amazônia. Os detalhes e aprendizados adquiridos com as grandes operações que a Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) participou em 2019 foram os assuntos abordados pelo tenente-coronel Vandernilson Peres da Silva na palestra realizada durante o XIX Seminário Nacional de Bombeiros (Senabom).

Integrante do Corpo de Bombeiros Militar do Acre (CBMAC), o tenente-coronel é comandante do Batalhão Escola de Pronto Emprego da Força Nacional e coordenou os trabalhos dos integrantes da tropa nas grandes operações deste ano.

“Até agora foi um ano intenso, em que participamos de grandes operações, mas o que fica é o aprimoramento cada vez maior das nossas técnicas, o aprendizado e a experiência para o atendimento mais eficaz, com menor tempo de resposta e cada vez melhor para o salvamento da vida de pessoas”, pontuou o comandante, em sua palestra, na última quinta-feira, 14.

Operações
Resultado do acidente com a barragem de rejeitos da mineradora Vale, a do Córrego do Feijão, a operação de Brumadinho contou com a participação de 64 integrantes da Força Nacional, sendo 44 bombeiros, 10 policiais e 10 tripulantes de aeronaves. A participação se deu durante sete semanas, com início em janeiro.

Já no mês de março, 44 homens da Força Nacional se dirigiram a Moçambique. As operações, inicialmente de ajuda humanitária, iniciaram no dia 1º de março e tinham como objetivo atender às vítimas de um primeiro ciclone. Quando estavam no país, um novo ciclone inundou diversas regiões e os soldados passaram a resgatar vítimas.

"Foram experiências bem diferentes e de muito aprendizado. Brumadinho foi mais impactante porque eram buscas de vítimas, de corpos; já em Moçambique, a gente atuou depois do primeiro ciclone na ajuda humanitária, depois do Kennedy, o segundo ciclone, resgatando pessoas vivas", contou o palestrante.

O comandante relembrou uma das situações mais emocionantes que encontraram no lugar. "Resgatamos crianças que estavam isoladas. E praticamente adotamos cerca de 400 crianças de uma creche, com quem dividimos nossos suprimentos, depois conseguimos com a Organização das Nações Unidas toneladas de alimentos ", lembrou.

Já da Operação Onda Verde, realizada nos estados que sofreram com incêndios florestais na Amazônia, o Comandante destacou a logística envolvida na atuação da FNSP.

“Foram mais de 20 aeronaves, 300 viaturas, mais de 1400 combatentes de incêndios florestais, mais de 400 lançamentos de água das aeronaves e tudo isso nos deu um know how para que a gente pudesse estar habilitado para outras operações.

Força Nacional
Composta por policiais militares, civis, bombeiros militares e peritos dos estados e do Distrito Federal, a Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) é um programa de cooperação entre os estados-membros e a União Federal, que tem como objetivo executar por meio de convênio atividades e serviços imprescindíveis à preservação da ordem pública, à segurança das pessoas e do patrimônio, além de atuar, ainda, em situações de emergência e calamidades públicas.

Criada em 2004, por meio do Decreto de nº 5.289 de 29 de novembro de 2004, a Força se destinava principalmente ao policiamento ostensivo em casos de perturbação da ordem pública e desde 2009 passou a contar com um grupamento especializado de buscas e salvamentos.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.