Polícia | Audiência

Militares vão a júri em São Luís por crime na cidade de Imperatriz

Crime ocorreu em 2012 nessa cidade, mas será julgado no fórum Desembargador Sarney Costa a pedido do Ministério Público; acusados estariam influenciando jurados
Ismael Araújo08/06/2019
Militares vão a júri em São Luís por crime na cidade de ImperatrizDauvane Sousa Silva e Helenilson Pereira em audiência no fórum (Divulgação)

SÃO LUÍS - Os militares Dauvane Sousa Silva e Helenilson Pereira Borges vão sentar nesta segunda-feira, 10, no banco dos réus do Fórum Desembargador Sarney Costa, no Calhau. Eles respondem ao processo em liberdade, pelo assassinato a tiros o serralheiro Flávio da Conceição, na madrugada do dia 30 de agosto de 2012, no bairro da Caema, em Imperatriz.

A sessão de julgamento vai ocorrer no salão do 4º Tribunal do Júri, em São Luís, sob a presidência do juiz José Ribamar Goulart Heluy Júnior. O processo desse crime tramitava na 1ª Vara Criminal de Imperatriz, mas a pedido do Ministério Público, em julho do ano passado, foi desaforado para a capital maranhense. O Ministério Público alegou que Dauvane Sousa é policial militar e apresentador de um programa televisivo em Imperatriz e vinha conclamando na mídia e em redes sociais a sociedade local e os jurados para absolvê-lo dessa acusação.

Denúncia

O Ministério Público denunciou os dois militares pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima. Dauvane Sousa é acusado, também, de ameaça. O crime teria ocorrido devido a vítima não ter informado aos policiais o paradeiro de seu irmão, que seria foragido da Justiça. Há nos autos relatos de testemunhas afirmando terem visto o militar Dauvane Sousa Silva abordar a vítima na tarde anterior ao homicídio, perguntando por seu irmão.

No dia do crime, por volta das 00h40, no bairro da Caema, os denunciados atiraram várias vezes contra Flávio da Conceição que ainda foi levado para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte