Economia | Fiema

Construção civil tem recuperação em novembro

De acordo com estudo da Federação das Indústrias, crescimento foi maior que o índice nacional
31/01/2019

No mês de novembro, o setor da construção civil apresentou uma considerável melhora no estado do Maranhão. Segundo a Sondagem da Construção Civil, pesquisa elaborada pela Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema) em parceria a com Confederação Nacional da Indústria (CNI), o nível de atividade passou de 39,1 para 47,3 pontos. Apesar de não se apresentar na faixa mínima satisfatória (50,0 pontos), o crescimento é notável e se aproxima do índice nacional, ficando, inclusive, acima deste. O indicador varia de 0 a 100. Abaixo de 50 sinaliza queda na produção e acima aumento da produção.
No que se refere ao desempenho, a pesquisa indicou que os índices obtiveram melhora, ficando estável apenas a Utilização da Capacidade Ociosa (UCO), com 53 pontos no mês de outubro e no mês de novembro do ano passado. Separando por porte, em média, o desempenho das pequenas empresas foi melhor que o das médias e grandes.
Em relação às expectativas, houve piora se comparado ao mês anterior. O indicador das expectativas relacionadas ao nível de atividade registrou 38,3 pontos, diminuindo 4,9 em referência ao mês de outubro. A expectativa por novos empreendimentos foi a que se apresentou mais otimista e a expectativa sobre o número de empregados assinalou a menor pontuação 35,5, refletindo o cenário brasileiro atual de alta taxa de desemprego.
A Sondagem da Construção Civil do Maranhão é elaborada mensalmente pela Fiema e CNI e conta com a participação de empresas da Construção Civil do Maranhão de pequeno, médio ou grande porte. Os questionários foram aplicados de 3 a 14 de dezembro de 2018. l

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.