ATENDIMENTO EM SAÚDE

Fim de ano: em 48 horas, Samu recebeu mais de 900 chamados

Dados são referentes ao balanço de Natal; trotes ainda são barreira para o serviço e atrapalham o atendimento de quem realmente precisa; para a virada do ano, 10 ambulâncias estarão à disposição para atendimento imediato

IGOR LINHARES / O ESTADO

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h27

Nos dias 24 e 25, período das festas natalinas, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de São Luís (Samu) recebeu 971 chamados, entre os quais trotes, que atrapalham no atendimento de quem realmente precisa do serviço, solicitação de orientação por telefone e demanda para atendimento in loco. Segundo o serviço, os principais atendimentos de fato, nesse período, foram direcionados a acidentes, principalmente em que os envolvidos estavam alcoolizados. Para a virada do ano, o Samu estará integralmente disponível.

Segundo a diretora-técnica do Samu da capital maranhense, Dayane Vieira Ferreira, o período de Natal sempre demanda mais do atendimento de urgência e emergência, embora ela destaque que cerca de 30% dos chamados sejam trotes. Nesta perspectiva, a diretora alerta para a importância de abandonar esse hábito ilícito e altamente prejudicial, uma vez que, segundo ela, os trotes diminuem a possibilidade de sobrevivência de quem realmente precisa do serviço.

“As ocorrências clínicas foram o carro-chefe no período de Natal, nos dias 24 e 25. No total, foram 971 ligações, das quais grande parcela é representada pelos trotes, que acabam atrapalhando o nosso serviço”, destacou. “A partir do momento em que a gente recebe um falso aviso, uma ambulância é deslocada, e o tempo de deslocamento dela [ao local informado no trote], é o tempo que a gente deixa de atender outro paciente, comprometendo o tempo resposta de quem, de fato, necessita do atendimento”, explicou.

Excesso de álcool
Dos outros chamados, o Samu atendeu muitos acidentes envolvendo pessoas que fizeram ingestão de álcool, outro caso em que o serviço, mesmo sendo necessário, não deveria ser acionado, à medida que tal problema poderia ser evitado, caso as pessoas tivessem consciência do perigo que correm ao combinarem, indevidamente, álcool e direção.

“Alcoolismo e acidentes de trânsito, durante o período de Natal, foram os principais registros. São ocasiões que acabam comprometendo o nosso serviço, porque a gente deixa de atender pacientes com quadros clínicos relacionados a cardiopatia, infarto AVC [Acidente Vascular Cerebral], porque a ambulância fica muito tempo ocupada com esses pacientes, com hipoglicemia e desidratação, devido alcoolismo”, pontuou a diretora.

Para as próximas festividades de fim de ano, em que muitas pessoas costumam persistir no erro, a diretora-técnica do Samu dá simples orientações, mas que devem ser levadas a sério. “Primeiro, álcool e direção não combinam. Então, se tem intenção de beber, use outro transporte, porque você compromete não só a sua saúde, mas a de outras pessoas. Se for beber em casa, esteja atento em se hidratar, em se alimentar”.

Nesse cenário, é necessário que se saiba, antes de tudo, que o atendimento do Samu é essencial a pessoas com quadros mais graves e com risco de morte iminente, como hipertensos e diabéticos, por exemplo. “Quem for beber, a orientação é resguardar o próprio corpo de ressacas que não nada confortáveis”, aconselhou Vieira.

HORA DA VIRADA

Durante o ano-novo, o Samu garante que serão mantidas as 10 Unidades de Suporte Básico (UBS), as duas Unidades de Suporte Avançado (USAs) - apenas em São Luís - e mais a reserva técnica, caso seja necessário substituir alguma ambulância. Atualmente, 10 médicos plantonistas prestam serviços à população, além de enfermeiros e outros técnicos que auxiliam no atendimento às demandas.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.