MOVIMENTAÇÃO

Comércio da Rua Grande registra bom movimento a poucos dias do Natal

Consumidores aproveitaram o domingo para irem às compras e a expectativa é que nesta semana o consumo aumente; comerciantes ainda esperam pelo aumento das vendas para o período natalino

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h27
Rua Grande teve movimento intenso no domingo
Rua Grande teve movimento intenso no domingo (rua grande)

SÃO LUÍS – Faça sol ou chuva, o movimento de consumidores na Rua Grande – maior centro comercial a céu aberto de São Luís –, é sempre intenso. Ontem, a via foi bastante movimentada, mesmo com o tempo nublado e aguaceiro, porém, as lojas instaladas no local não têm registrado boas quantidades de vendas como em anos passados ou alcançado as metas estabelecidas pelos lojistas e ainda esperam o aumento das vendas para o período natalino.

A menos de 10 dias para o Natal, as expectativas dos lojistas é de que as vendas ainda melhorem e que o comércio não fique no prejuízo. Para a gerente de uma loja de roupa íntima, Cíntia Araújo, o objetivo ainda está longe do que foi estabelecido para vender no mês de dezembro. “Nós esperávamos mais, mas, infelizmente, ainda não tivemos sucesso nas vendas, como em anos passados, a esta mesma época”.

Ainda de acordo com Cintia Araújo, vários motivos têm contribuindo para que o movimento no comércio esteja em ritmo desacelerado. “Acreditamos que a obra da Rua Grande tem interferido bastante, mas também tem a questão da crise econômica, e agora como a chuva, mesmo não impedindo que o movimento seja grande, mas acaba não sendo tão exitoso, pois toma o tempo das pessoas em querer comprar”, destacou.

Movimento
Na manhã de ontem, quando O Estado esteve no local, mesmo diante da possibilidade de vendas, algumas lojas na Rua Grande permaneceram fechadas, enquanto outras, abertas, resolveram apostar em ofertadas para chamar atenção do consumidor. “Temos feito de tudo, mas as vendas não estão como nós, lojistas, pensávamos que ia ser. Ainda esperamos para que, nesta última semana que antecipa o Natal, possamos, pelo menos, vender o que já tínhamos estocado. Ainda não contabilizamos prejuízos, embora com algumas alterações de impostos feitas pelo governo, a classe comercial já esteja prejudicada”, destacou o gerente de uma loja de calçados, Raimundo Marques.

A maioria dos consumidores que vão à Rua Grande no domingo, são aqueles que não têm tempo durante a semana por outros compromissos como o trabalho, que é o caso da doméstica Dalila Muniz, de 52 anos. “Eu aproveitei para vir no final de semana, tentar comprar alguma coisa. Os preços não estão tão atrativos, mas razoáveis. Não vai dar de levar presente para todo mundo, mas a gente tenta”, ressaltou.
Segundo pesquisa feita pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão (Fecomércio-MA), a intenção média de gastos com o presente natalino em 2018 cresceu +7,9%, quando comparado com o ano passado.
A pesquisa aponta, ainda, que dois em cada três consumidores em São Luís (66,6%) pretendem comprar algum presente natalino.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.