SAÚDE

CAPS AD celebra 10 anos de atuação e 16 mil pessoas atendidas no Maranhão

Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas é uma referência no atendimento de dependentes químicos do estado; resgates são feitos em bairros

MONALISA BENAVENUTO / O ESTADO

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h27

A primeira década do Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD) foi celebrada nesta quinta-feira (13), na sede da instituição, localizada no bairro Monte Castelo. Foram atendidos 16 mil dependentes químicos durante 10 anos de atuação, com redução da criminalidade em áreas onde aconteceram os resgates. A comemoração contou com a presença de parceiros, como o delegado da Polícia Civil, Joviano Furtado, e Maria de Jesus Pereira, gerente de unidade móvel do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). Ex-dependentes químicos e familiares também participaram da celebração.

“O CAPS é uma casa que está sempre de portas abertas para novos filhos”. Foi assim que o pintor Gildásio Trindade definiu o centro onde, nos últimos oito meses, esteve em tratamento contra a dependência alcoólica. “Eu conheci o CAPS AD por meio da minha irmã, quando eu já estava no fundo do poço, e eu vim, iniciei meu tratamento e durante todo esse tempo segui todas as etapas e não tive nenhuma recaída, graças ao apoio que recebi de todos os funcionários daqui, desde a equipe da limpeza aos médicos. Aqui somos tratados com carinho”, destacou o ex-paciente, que, na manhã de ontem, recebeu alta.

Assim como Trindade, tantos outros dependentes de substâncias diversas integram as estatísticas de trabalho da instituição, demonstrando a importância de seu papel para a sociedade. De acordo com Marcelo Costa, diretor do CAPS AD, ao longo dos 10 anos de trajetória, o resultado alcançado supera as metas estabelecidas.

“Antes de dezembro de 2008 não tínhamos nenhum serviço no estado do Maranhão que atendesse a essa demanda reprimida que representa os dependentes químicos. Não se sabia nem mesmo o número de pessoas que se encontravam nesta situação no estado. Nós fomos a primeira unidade a ir para as ruas, juntamente à Polícia Civil e, assim, conseguimos acabar com diversos pontos de concentração de dependentes químicos e conquistar a confiança da sociedade e eu tenho o prazer de fazer parte destes 10 anos de vitórias e superações”, destacou o diretor.

16 mil
Durante uma década de atuação, 16 mil pessoas foram atendidas pelo centro. Um dado significante tanto para a saúde pública, quanto para a segurança, já que, em muitos pontos, foi verificada a redução da criminalidade desde sua primeira ação de resgate realizada em 2011 no bairro João Paulo, como destacou o delegado Joviano Furtado.

“Nós iniciamos um trabalho. A princípio, retirávamos estas pessoas das ruas e levávamos para locais de tratamento. Já nos moldes atuais, nós proporcionamos, com o apoio de parceiros como o Senac e o Sine (Sistema Nacional de Emprego), capacitação e oportunidade de geração de renda para estas pessoas, levando em conta que um dependente químico retirado das ruas deixa de contribuir para o registros de crimes, que vão desde pequenos furtos a homicídios. Desta forma, já verificamos, em áreas como o centro da cidade, a redução da violência relacionada ao uso de drogas”, esclareceu.

A participação de agentes públicos e privados, como destacou o delegado, são de fundamental importância nas ações do CAPS AD. Para a gerente de unidade móvel do Senac, que há três anos é parceira do centro, a capacitação dos pacientes possibilita a continuidade do tratamento, mesmo fora da instituição. “Desde 2016 a gente mantém essa capacitação aos pacientes do CAPS com cerca de 10 cursos, para que eles possam gerar sua própria renda, após saírem do tratamento e se mantenham firmes”, explicou.

Firme. É como permanece Daniel Mendes há sete anos, após abandonar a dependência por álcool e cigarro. O primeiro contato com o CAPS se deu por meio de uma amiga, mas o real desejo de deixar o vício só surgiu após a aceitação de que era dependente. “Eu percebi que estava doente depois de assistir a palestras dos médicos do CAPS AD. A princípio, não foi fácil, mas graças a Deus tive o apoio dos profissionais e da minha família e, desde que cheguei aqui, em 19 de setembro de 2011, me mantenho limpo. Hoje tenho uma vida nova e trabalho ajudando outras pessoas, com captação de recursos para instituições sociais”, contou.

O Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas é uma referência no atendimento desse público, atendendo, somente neste ano, 9.250 pessoas. A maioria oriunda dos bairros do centro da cidade, Cidade Operária, Barreto e Liberdade. As unidades, localizadas nos bairros Monte Castelo e Cohab, oferecem tratamento diário à população com transtornos decorrentes do uso e dependência de substâncias psicoativas, ofertando tratamentos dentro das diretrizes determinadas pelo Ministério da Saúde, que têm por base o tratamento do paciente em liberdade, buscando sua reinserção social.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.