Cidades | Perda da memória

Coleções de cerâmicas, adereços e mapas se perderam em incêndio

Parte das peças doadas pelo pesquisador Raimundo Lopes, natural de Viana, foi perdida no incêndio no Museu Nacional, ocorrido no início do mês passado
Thiago Bastos / O Estado 13/10/2018

Grande parte dos registros da pré-história maranhense foi perdida no incêndio registrado no dia 2 de setembro deste ano no Museu Nacional no Rio de Janeiro, situado na Quinta da Boa Vista. O material que foi consumido pelas chamas é fruto do trabalho do pesquisador maranhense Raimundo Lopes, ex-estudante de Direito e que se dedicou a estudar a etnografia, a arqueologia e a sociologia. Ele faleceu no dia 8 de setembro de 1841, mas deixou um legado para a memória das populações que por aqui viveram no estado.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte