Política | Violência contra a mulher

Procuradora da Mulher pede afastamento de Cabo Campos, acusado de agredir a esposa

Valéria Macedo disse que denúncia de violência contra a mulher "fere de morte um parlamentar"
Gilberto Léda07/03/2018

SÃO LUÍS - A deputada estadual Valéria Macedo (PDT), titular da Procuradoria da Mulher da Assembleia Legislativa, pediu ontem, formalmente, o afastamento do deputado estadual Cabo Campos (DEM), por 60 dias, das funções parlamentares.

LEIA TAMBÉM:

Valéria Macedo pedirá afastamento de Cabo Campos

Acusado de agredir a esposa, Cabo Campos é afastado de casa pela Justiça​

O democrata está proibido de frequentar sua própria residência desde o dia 9 de fevereiro, por força de uma decisão do desembargador José Luiz Almeida, do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), relator do processo em que ele é acusado de ter agredido a esposa, Maria José Campos.

Em discurso Valéria Macedo disse que a denúncia contra Campos “fere de morte a dignidade de um parlamentar”. Para ela, o colega deve ser afastado enquanto durar o inquérito que apura o caso

“Uma acusação dessa é gravíssima, não há perdão, não há como nós mulheres nesta Casa nos furtarmos de darmos a nossa manifestação e eu tenho feito isso como procuradora e como mulher, se não fosse Procuradora da Mulher faria da mesma forma. Já estamos protocolando um pedido de afastamento cautelar do deputado Cabo Campos por 60 dias até que seja formalizado o processo disciplinar para a cassação do mandato do Deputado Cabo Campos”, destacou.

Valéria Macedo argumentou que dois meses é tempo o suficiente para a produção e apresentação de provas sobre o caso para que, então, haja um julgamento na Casa, sobre possível cassação do mandato de Cabo Campos.

“Acredito que os elementos que já temos justificam o afastamento. Acredito também que no prazo que estou aguardando a conclusão dessa investigação nós podemos ter um relatório do delegado já com provas, o exame de corpo delito, os depoimentos do auto da agressão, a cópia da denúncia, se for oferecida pelo órgão competente e, por fim, a decisão da Justiça de recebimento da ação penal. Eu acredito que com esses elementos de prova e entendimento de mérito da ação penal, nós aqui da Assembleia teremos todas as condições de julgar se deve ou não perder o mandato o deputado Cabo Campos”, completou.

Fórum – A procuradora também informou que a Mesa Diretora da Assembleia já recebeu uma representação pela cassação do deputado. Trata-se de um documento protocolado pelo Forum Maranhense de Mulheres.

Macedo pediu, ainda em seu discurso, que o Conselho de Ética analise o processo.

“Esta representação foi assinada pelas coordenadoras do Fórum Maranhense de Mulheres, mas também em nome de todas as 15 entidades que representam o combate à violência, que representam a luta pelos direitos das mulheres no Maranhão. Em outras palavras, esta Casa já foi, quero aqui deixar claro para todos os parlamentares, já foi formalmente provocada para adotar as medidas que entender cabíveis no campo disciplinar contra o deputado estadual Cabo Campos”, concluiu.

MAIS

O deputado Cabo Campos segue em silêncio em relação às denúncias. Desde a semana passada, O Estado já tentou contato com o parlamentar por três vezes. Ele também não tem comparecido às sessões plenárias.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte