Caso Décio Sá

Acusado de ser mandante do assassinato do jornalista Décio Sá ganha habeas corpus

Já em prisão domiciliar, Gláucio Alencar conseguiu o direito para cumprir ordem de recolhimento domiciliar noturno e durante fins de semana e feriados

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h34
Gláucio Alencar é acusado de mandar matar o jornalista Décio Sá
Gláucio Alencar é acusado de mandar matar o jornalista Décio Sá (Gláucio Alencar)

SÃO LUÍS – Acusado de ser o mandante do assassinato do jornalista e blogueiro Décio Sá, Gláucio Alencar Pontes de Carvalho conseguiu um habeas corpus, por meio de decisão do desembargador José Luiz Almeida, do Tribunal de Justiça do Maranhão, para cumprir ordem de recolhimento domiciliar noturno e durante fins de semana e feriados em relação a esse crime. Como já cumpre prisão domiciliar pelos crimes de agiotagem e fraude a licitações, o acusado está cada vez mais próximo da liberdade.

LEIA MAIS

Gláucio Alencar obtém um habeas corpus, mas vai continuar preso em SL

Gláucio Alencar deixa Pedrinhas por determinação do STJ

Justiça Federal ouve hoje Gláucio Alencar em audiência de instrução

No dia 23 de abril de 2012, Décio Sá foi assassinado com cinco tiros quando estava em um bar na Avenida Litorânea. Ele exerceu a função de repórter da editoria de Política do jornal O Estado por 17 anos e também publicava conteúdos independentes no "Blog do Décio".

A morte do jornalista, segundo a polícia, teria sido motivada pela postagem que ele havia feito em seu blog sobre o assassinato do empresário Fábio Brasil, em Teresina, no dia 31 de março de 2012, e por ter apontado como mandantes José de Alencar Miranda Carvalho e Gláucio Alencar Pontes de Carvalho. No decorrer da investigação, a polícia acabou descobrindo que 41 prefeituras do Maranhão estavam nas mãos de agiotas, entre eles José Alencar e Gláucio Pontes.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.