Cidades | Dificuldades

Buracos no terminal do Anel Viário comprometem trafegabilidade dos ônibus

Em muitos trechos, os paralelepípedos que cobrem a via não existem mais, deixando espaço apenas para o buraco e poeira. Situação soma-se aos antigos problemas do terminal que nunca foram resolvidos
Leandro Santos / O Estado27/08/2017 às 00h00
Buracos no terminal do Anel Viário comprometem trafegabilidade dos ônibusTrafegabilidade fica comprometida para ônibus no Anel Viário. (Biné Morais / O ESTADO)

SÃO LUÍS - As guias por onde passam os ônibus no Anel Viário, no centro de São Luís, estão repletas de buracos e comprometem a trafegabilidade dos veículos. A situação soma-se ao abandono de todo o espaço, que por diversas vezes a prefeitura se comprometeu em revitalizar, mas nunca o fez.

O problema poder ser observado logo no inicio das pistas. As vias são formadas por paralelepípedos e muitos deles já não existem mais, deixando espaço apenas para os buracos e a poeira. Outros trechos das pistas desse terminal estão afundando, o que futuramente poderá fazer com que surjam novos buracos caso a situação não seja resolvida o quanto antes.

Por causa do problema, muitos coletivos já não entram no terminal e passam pelo lado de fora. Um transtorno para os usuários de transporte coletivo que estão aguardando ansiosamente pelos ônibus nas paradas e eles não passam.

Precário
Os buracos no terminal somam-se aos antigos problemas do terminal que nunca foram resolvidos. O principal diz respeito à infraestrutura do local, que está abandonado e servindo, principalmente no período da noite, como ponto de prostituição e consumo de drogas. Existe um projeto de revitalização do espaço, que prevê a retirada de algumas barracas e a reforma do local, mas ele nunca saiu do papel.

O terminal foi inaugurado no dia 1º de maio de 1986, na administração do ex-prefeito Mauro Fecury, para disciplinar o serviço de transporte urbano na área. No local, além de cinco plataformas para os ônibus, foram construídos 24 quiosques para a venda de comidas e bebidas.

No entanto, com o passar do tempo, o espaço foi gradativamente sendo abandonado pelo poder público municipal e, atualmente, tornou-se um reflexo do caos que, muitas vezes, é causado pelos comerciantes que trabalham na região.

No terminal, há dezenas de barracas, muitas enferrujadas e abandonadas. Alguns desses estabelecimentos, construídos inicialmente com madeiras, estão sendo substituídos por outros de tijolos, que não seguem nenhum tipo de padrão, critério ou planejamento.

O revestimento de azulejo das colunas de sustentação das paradas de ônibus já não mais existe em muitos locais, deixando exposto apenas o cimento e as grades de ferro. Bancos quebrados e goteiras nos tetos das paradas completam o cenário de desordem no ambiente.

O mototaxista Francisco Araújo reclamou do estado em que se encontra atualmente o terminal. “Entra ano e sai ano e até agora ninguém resolveu todos esses problemas. Mas quando chega na época da eleição, o que mais se tem é promessa”, disse.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp) limitou-se a informar apenas que o local já consta da programação de reparos corretivos da pavimentação asfáltica. Sobre a desorganização e o abandono do espaço, que deveriam ser solucionados com o projeto de revitalização, a Prefeitura de São Luís não enviou nenhum posicionamento.


SAIBA MAIS

O comércio ambulante dentro do terminal é outro problema do terminal do Anel Viário. Muitos vendedores, por falta de local de trabalho, ocupam os bancos com as mercadorias ou até mesmo as espalham pelo chão.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte