Esporte | Interino

Marcinho comanda Moto Club na partida contra o Fortaleza

Com dificuldade para encontrar treinador disposto a assumir o time em dificuldades financeiras e dentro do teto salarial estipulado pela diretoria, Moto Club só deve contratar novo comandante depois do fim de semana
06/07/2017
Marcinho comanda Moto Club na partida contra o FortalezaMarcinho continua (Divulgação)

Após o pedido de demissão do técnico Leston Júnior, Marcinho Guerreiro deve ser o treinador que comandará a equipe do Moto Club na partida contra o Fortaleza, neste sábado, às 20h, no Estádio Castelão, pela nona rodada da Série C do Campeonato Brasileiro. A diretoria rubro-negra ainda está procurando um novo técnico, que dificilmente será apresentado até a partida.
Preocupada em não ter ninguém comandando a equipe do banco de reservas contra o Fortaleza, a diretoria do Moto deu entrada, ontem, na inscrição de Marcinho Guerreiro como técnico do clube. Agora, os dirigentes esperam apenas a confirmação da inscrição do treinador substituto no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF.
“Inscrevemos o Marcinho Guerreiro, porque a CBF exige que o treinador esteja inscrito para poder ficar no banco de reservas. Como dificilmente o novo treinador chegará antes do confronto contra o Fortaleza, não podíamos perder tempo”, explicou o presidente do Moto, Célio Sérgio.
O treinador que a diretoria do Moto pretende contratar tem que atender a duas exigências: conhecer a realidade financeira do time e estar dentro do teto salarial do clube. “Não está fácil encontrar um novo treinador, porque ele tem que vir para cá sabendo o que vai encontrar. Além disso, está muito difícil trazer um dentro da estimativa de salário que podemos pagar. É por isso que não acredito que o novo técnico vai chegar antes do confronto contra o Fortaleza”, comentou o dirigente.
Sobre contratações, Célio Sérgio disse que vai esperar o novo treinador chegar para indicá-las. “Não podemos queimar cartucho. Temos que esperar que o novo treinador conheça o grupo e diga qual posição está carente. Acredito que o novo técnico deva pedir muitos reforços, porque o time vem jogando bem. Os resultados é que não estão vindo”, comentou.
Sem patrocínio, o Moto está com sérias dificuldades financeiras. O clube deve um mês de salário aos jogadores. A folha salarial do clube é de R$ 250 mil. “Sem o apoio da Lei de Incentivo ao Esporte, perdemos cerca de R$ 1 milhão de receita. E sem esse recurso está difícil manter o time”, ponderou Célio Sérgio.
Enquanto o novo técnico não chega, Marcinho Guerreiro segue trabalhando com a equipe para a partida contra o Fortaleza. Na tarde de ontem, ele comandou o segundo treinamento com vistas à partida diante do Leão, no CT Pereira dos Santos. Sem problemas de contusão ou suspensão, Marcinho conta com todo o elenco para o jogo. Quanto ao provável time titular, só deve ser definido a partir de hoje.
Com cinco pontos, o Moto é o nono colocado do grupo A da Série C e nem mesmo se vencer o Fortaleza sairá da zona de rebaixamento, na próxima rodada, porque o Cuiabá, oitava colocado, abriu quatro pontos de diferença para o Rubro-Negro.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte