Política | Senado

Membros do Conselho de Ética do Senado são aprovados pelo plenário

Entre os indicados estão três investigados na Lava Jato: Romero Jucá, Eduardo Braga e Jader Barbalho
31/05/2017 às 10h05
Membros do Conselho de Ética do Senado são aprovados pelo plenárioJoão Alberto é um dos indicados do PMDB e deverá presidir o Conselho de Ética pela sexta vez (Divulgação)

Brasília - Parte da composição do Conselho de Ética do Senado foi aprovada na noite da terça-feira, 30, pelo plenário da casa, autorizando que o colegiado volte a funcionar após três meses de atraso. Para presidir o conselho, a indicação do PMDB é o senador João Alberto de Sousa, pela sexta vezes escolhido para comandar o Conselho de Ética.

O conselho é responsável por analisar eventuais denúncias por quebra de decoro parlamentar que podem levar à cassação do mandato. Já foram indicados 20 dos 30 membros do colegiado, com a presença de três investigados na Operação Lava Jato: Romero Jucá (PMDB-RR), Eduardo Braga (PMDB-AM) e Jader Barbalho (PMDB-PA).

Além dos três, Eduardo Amorim (PSDB-SE) e Flexa Ribeiro (PSDB-PA) também são alvos de inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF), mas por casos que não são relacionados à operação de Curitiba.

Líder do governo no Senado e designado como membro titular do Conselho, Romero Jucá é alvo de oito inquéritos. Formado pelo PP e pelo PSD, o bloco Democracia Progressista ainda não faz suas indicações.

Em abril, após a delação premiada da Odebrecht, o ministro Edson Fachin, do STF, aceitou o pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) e abriu inquéritos contra nada menos que 24 senadores, quase um terço da Casa.

Na semana passada, João Alberto falou sobre sua indicação para presidir mais uma vez o Conselho de Ética e a responsabilidade de conduzir o processo por quebra de decoro contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG).

Segundo o senador do PMDB, ele vai analisar os pedidos, as provas apresentadas e somente depois decidirá sobre dá ou não prosseguimento ao pedido de cassação de Aécio.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte