Geral | Operação Turing

PF revela detalhes da operação que terminou com prisões de policial e blogueiros

Delegado informou que propinas variavam de R$ 1.500 a mais de R$ 10 mil; policial preso era funcionário do governo
OESTADOMA.COM21/03/2017 às 15h19
PF revela detalhes da operação que terminou com prisões de policial e blogueiros Delegados Max Eduardo Ribeiro e Fabrício Martins durante coletiva de imprensa (Biné Morais / O ESTADO)

SÃO LUÍS – A Polícia Federal deu detalhes da Operação Turing, que foi desencadeada nesta terça-feira (21), e terminou com as prisões do policial federal Danilo dos Santos Silva e dos blogueiros Luis Assis Cardoso da Silva Almeida, Hilton Ferreira Neto e Luis Pablo Conceição Almeida. A entrevista coletiva foi realizada no fim desta manhã na sede da PF, na Cohama. Segundo os policiais, o esquema, que consistia em vazamento de informações da polícia e extorsão de empresários, políticos e servidores públicos, estava acontecendo desde 2014. O valor de cada propina variava de R$ 1.500 a mais de R$ 10 mil.

LEIA TAMBÉM

PF revela nomes de servidores e blogueiros do MA acusados de envolvimento em esquema

Investigado em Operação da PF que envolveu blogueiros era adjunto do governo Dino até 12 dias atrás

Mais cinco mandados de condução coercitiva foram expedidos para os blogueiros Antônio Martins Filho, Ezequiel Martins da Conceição, Yuri dos Santos Almeida, Marcelo Augusto Vieira e Antônio Marcelo Rodrigues da Silva. Mandados de busca e apreensão também foram feitos, com o recolhimento de documentos, cheques e relatórios.

O delegado-regional de Combate ao Crime Organizado da PF, Fabrício Martins, informou que todo o material será periciado nos próximos dias. “Os detidos serão ouvidos e encaminhados para uma das celas do Comando do Corpo de Bombeiros Militar. Eles vão responder pelos crimes de organização criminosa, embaraço a investigação sigilosa, extorsão qualificada, corrupção ativa e corrupção passiva”, explicou.

O chefe do Núcleo de Inteligência da PF, delegado Max Eduardo Ribeiro, informou que o trabalho da investigação começou ainda no ano de 2015, após análise de postagens em alguns blogs que obtinham informações sobre o trabalho da PF de forma privilegiada, mas esse esquema ilegal vinha sendo realizado desde o ano de 2014, ou seja, no período eleitoral.

“No decorrer do trabalho investigativo feito por interceptação telefônica e até mesmo em encontros, acabamos comprovando a ligação entre o policial federal Danilo Silva com o determinado grupo de blogueiros, coordenado por Luís Cardoso”, explicou o delegado.

Ainda de acordo com as informações do delegado Max Eduardo Ribeiro, o policial federal revelava, de forma antecipada, sobre as investigações, que eram consideradas como sigilo de Justiça, aos blogueiros. Estes, de posse dessa informação, começavam a ameaçar funcionários públicos, empresários e políticos.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.