Geral | Cisternas

Maranhão vai dispor de recursos federais para combater a seca

Michel Temer anunciou ontem, em Maceió, um programa que prevê R$ 755 milhões em investimentos para a construção de 133 mil cisternas, microaçudes e programas de acesso à água em 15 estados do país, dentre estes o Maranhão,que sofrem com a seca
28/12/2016
  Maranhão vai dispor de recursos   federais para combater a secaO presidente Michel Temer lançou programa de investimentos em Maceió para combater a seca (Agência Brasil)

MACEIÓ - O presidente Michel Temer lançou ontem em Maceió um programa de ações para combater a seca que prevê investimento de R$ 755 milhões em 15 Estados –R$ 250 milhões provenientes da repatriação, R$ 255 milhões vindos de convênios com o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário e o restante previsto na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2017. Está prevista a construção de 133 mil cisternas e microaçudes.

Em uma crítica indireta ao governo Dilma, Temer disse que a União "nunca apreciou dividir recursos com Estados e municípios", em referência ao uso de dinheiro da repatriação nas ações. "Não há país forte com Estados e municípios fracos", afirmou. De acordo com o governo, mais de um milhão de pessoas de 759 municípios serão atendidas.

Além de anunciar o programa, Temer também se comprometeu com a retomada de obras como a Transposição do São Francisco, o Canal do Sertão (em Alagoas) e a Adutora do Agreste (em Pernambuco).

Os recursos anunciados ontem pelo presidente Michel Temer para combater a seca serão repassados a 15 estados das regiões Nordeste, Norte, Sul e Sudeste: Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Sergipe.

Segundo o Governo Federal, os estados que receberão mais recursos serão Bahia (R$ 189,2 milhões), Pernambuco (R$ 155,8 milhões) e Ceará (R$ 68,6 milhões).

Ainda de acordo com o Executivo federal, o dinheiro será utilizado na construção de 133,5 mil cisternas. Deste total, 7 mil ficarão em escolas, 50 mil serão destinadas à área produtiva e 76,5 mil para consumo.

Temer viajou ontem para Alagoas, reduto eleitoral do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para anunciar o repasse de R$ 756 milhões a 15 estados para combater a seca.

Segundo o colunista do G1 e da GloboNews Gerson Camarotti, Michel Temer escolheu Alagoas como palco da apresentação dos investimentos para fazer um afago no presidente do Senado, que se tornou um aliado estratégico do Palácio do Planalto nos últimos meses.

Além de ser a base eleitoral do senador do PMDB, Alagoas é governado por Renan Filho (PMDB), primogênito do presidente do Senado.

Embora tenha um história de rivalidade com Temer dentro do PMDB, Renan conduziu importantes votações de interesse do Governo Federal, como a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que instituiu um teto para os gastos públicos pelos próximos 20 anos.

"Vocês ouviram aqui um grande debate de tudo o que o Governo Federal está fazendo para o Nordeste. Naturalmente, tudo isso passa pela minha mesa. É que eu tenho um objetivo e um sonho. Meu objetivo e meu sonho é que, ao final do meu mandato, que embora sendo eu de São Paulo, vocês possam dizer que esse foi o maior presidente nordestino que passou pelo Brasil", discursou Temer em meio ao evento de anúncio dos recursos para tentar aliviar os impactos da falta de chuva.

Mais

Paulista do município de Tietê, Michel Temer afirmou ontem durante uma cerimônia em Maceió, que sonha em ser reconhecido, ao concluir seu mandato, como o "maior presidente nordestino que passou pelo Brasil". O peemedebista é o filho caçula de um casal que imigrou do Líbano para São Paulo na década de 1920.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte