Passaporte | Paraíso

MOSQUEIRO (PA), a flor das águas

Cidade possui praias belíssimas de água doce, ondas, boa estrutura e muitas opções de lazer
Marcos Davi Carvalho11/07/2016
MOSQUEIRO (PA), a flor das águasOpções não faltam. Seja para os esportistas, para quem quer um bronzeado natural ou diversão (Marcos Davi Carvalho)

Engana-se quem pensa que a capital paraense não possui praia. Apesar dos 120 km de distância do Oceano Atlântico, Belém está rodeada de rios e igarapés, e é justamente nesses cenários que surge a parte turística mais preservada e frequentada da Metrópole da Amazônia. Situada a apenas 70 km de Belém, a ilha de Mosqueiro possui praias belíssimas de água doce e morna, que atraem turistas brasileiros e estrangeiros. As praias do Farol, Chapéu Virado, Murubira e Marahu são as mais movimentadas. No entanto, outras tantas podem ser visitadas e contam com boa estrutura de bares, pousadas, restaurantes e incontáveis casas de aluguel por temporada. O nome "Mosqueiro" é originário da antiga prática do "moqueio" do peixe, feita pelos indígenas tupinambás, que habitavam a ilha num passado distante.

O período de maior fluxo de turistas é justamente agora, entre os meses de junho e agosto, coincidindo com o verão paraense. É comum nesses meses grandes festas, apresentações culturais e eventos regionais na ilha. Os bares e restaurantes preparam decorações diferenciadas e oferecem o melhor da comida regional e até internacional, na orla da cidade.

Mosqueiro é uma ilha fluvial, localizada na costa oriental do Rio Pará, no braço sul do rio Amazonas, em frente à baía do Guajará, e o mais interessante é que suas praias possuem ondas, acompanham o movimento das marés e, devido o vento forte na região, é muito frequentada por surfistas e esportistas aquáticos. A água tem um tom amarelado e a ampla extensão de areia é naturalmente ornamentada por muitos coqueiros.

Por toda a cidade, é comum avistarmos belos casarões de estilo clássico, construídos pelos "Barões da Borracha" na fase de maior apogeu da Ilha. No entanto, se contrapondo ao antigo, várias mansões com fachadas modernas foram construídas. O local se transformou na melhor opção de lazer dos moradores de Belém e redondezas. Pela proximidade com o Maranhão, distante apenas 6 horas - entre balsa e carro - partindo de São Luís, os turistas maranhenses são maioria pelas bandas de lá.

Balneário

Um outro cantinho especial de beleza natural é o Igaracoco, uma parada obrigatória para o relaxamento. O lugar fica perto da Praia de São Francisco e é um pequeno balneário com água gelada e represada, própria para o banho. Bar e restaurante, para quem quiser passar o dia todo pela localidade, ainda pacata. A "tapiocaria da cidade" é outro lugar que deve ser visitado. Localizada na Praça Matriz, o local é disputadíssimo, pelas poucas mesas e cadeiras existentes. Vale à pena provar os deliciosos derivados de tapioca, que podem ser acompanhados por café, leite, sucos regionais ou até mesmo o açaí. O preparo demora em média 10 minutos, mas esperar ali nunca é demais, acredite!

É um pecado não provar também os pratos à base de peixes e frutos do mar, que, além de deliciosos, ajudam a movimentar a economia local. Quando a noite chega, a cidade se divide em passeio ou badalação. Os bares e restaurantes da orla oferecem boas opções de entretenimento e músicas para todos os gostos. O ritmo mais tocado é o alucinante e sensual "melody" ou "tecnobrega" como é mais conhecido. São comuns os shows de bandas locais com seus dançarinos e as tradicionais radiolas passarem a noite inteira animando os paraenses e visitantes. O difícil é ficar parado com tanta efervescência no lugar.

Ao longo do passeio encontramos vários moradores "nativos" vendendo frutas típicas da Amazônia, como o Taperebá (cajazinho), uma fruta azedinha, que produz um suco delicioso. Pitomba, bacuri, murici, além de camarão e peixe seco.

Das praias de água doce com ondas, da tapioquinha na vila, dos chalés e da arquitetura invejável, do lindo anoitecer, do peixe com açaí, do melody, dos esportes radicais, das férias inesquecíveis. Esta é a Mosqueiro que tanto encanta. Numa região cercada de muito verde. Uma floresta de emoções.

DICAS IMPORTANTES
Prefira visitar Mosqueiro logo nas primeiras horas da manhã, na chegada dos barcos pesqueiros e do açaí, que são vendidos na tapiocaria da vila. Aproveite para visitar as praias mais distantes primeiro e deixe as mais próximas do centro para a hora do almoço, pois nelas têm mais opções de restaurantes. O local é quente e suas praias são extensas e primitivas. Quem está hospedado em Belém pode perfeitamente sair e voltar no mesmo dia. Agora para quem quiser aproveitar um pouco mais, o lugar oferece boas opções de pernoite e estadia. O por do sol na praia do Marahú é uma das coisas mais inesquecíveis do Pará. O lugar é seguro e há policiamento por toda a cidade.

COMO CHEGAR
Existe a opção de ônibus urbano, cujo preço é quase o mesmo dos ônibus que circulam em Belém e que custam em média R$ 4,50. A saída é em frente ao terminal rodoviário, em São Brás. Outra opção é sair do terminal rodoviário, onde os ônibus são mais confortáveis, mas o preço é um pouco mais caro. De carro: só existe uma opção, pegar a BR-316 e depois a PA-391. Saindo de São Luís, seguir de ferry-boat até o Cujupe e de lá é só seguir em frente até o entroncamento, com a Rodovia Belém – Brasília, passando por Pinheiro, Maracaçumé e Gurupi.

ONDE COMER
Os bares da orla são padronizados. É só escolher umas das barracas instaladas nas mais de 15 praias e saborear a culinária regional. Peça como entrada uma casquinha de caranguejo. Para o almoço ou jantar são várias as opções de peixes: pescada branca, pescada amarela, filhote, cação, que poderão vir frito, cozido ou assado. Pratos para 2 pessoas, a partir de R$ 35,00.

O QUE LEVAR
Roupas de banho leves e claras. Cangas/saída de praia, shortinhos, bermudas e camisetas claras. Chapéus, óculos de sol, protetor solar e bronzeador. Uma sacolinha para o depósito de lixo e, claro, filmadora ou câmera digital para registrar momentos alegres e inesquecíveis.

<<<<<<<<

NA BAGAGEM

Projeto férias culturais movimenta Centro Histórico de São Luis
O mês de julho será bastante movimentado no Centro Histórico de São Luís. O projeto 'Férias Culturais” disponibilizará opções diversificadas aos moradores e turistas. Fazem parte da programação atrações culturais, roteiros guiados pelo Centro Histórico, Serenata Histórica, roteiro do Reggae, Sarau Histórico e representação de personagens. As atividades foram abertas na última quinta-feira (7) e vão até o dia 28, com um Sarau Histórico na Praça Benedito Leite.

Biblioteca Pública Benedito Leite abre inscrições para colônia de férias
A Biblioteca Pública Benedito Leite está oferecendo uma colônia de férias no período 19 a 22 de julho, das 8h30 às 12h. A inscrição é gratuita e poderão participar 50 crianças de 7 a 11 anos. Na programação, brincadeiras, jogos culturais, oficinas de criação literária, passeio na biblioteca, apresentações musicais, exibição de filmes, exposição de livros e contação de histórias. A intenção é incentivar o público infantil a visitar a biblioteca e criar o hábito de leitura com atividades lúdicas e integração com outras crianças. Mais informações pelo telefone: (98) 3218-9961.

Verão no Maranhão
Com a chegada das férias escolares e a diminuição das chuvas no Maranhão, as praias de São Luís são os pontos de maior lazer e entretenimento das famílias maranhenses e turistas. O Corpo de Bombeiros tem intensificado suas ações educativas e garantindo a segurança dos banhistas.
A Avenida Litorânea é a mais frequentada e conta com a melhor estrutura local de turismo. O que se espera nas outras praias é a fiscalização contra o abuso do som automotivo e um maior policiamento, especialmente, no Araçagi.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte