Política | Na BR-135

Deputados devem criar comissão para cobrar celeridade nas obras de duplicação da BR-135

Parlamentares lamentaram mortes na rodovia e devem cobrar o DNIT-MA; Souza Neto falou em “estrada da morte”
OESTADOMA.COM05/07/2016 às 16h14
Deputado Júnior Verde (PRB) exibe manchete do jornal O Estado, sobre tragédia na BR-135, no plenário da Assembleia

SÃO LUÍS – Deputados estaduais do Maranhão devem formar uma comissão para cobrar, junto ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT-MA), providências sobre o andamento das obras de duplicação da BR-135. A sugestão da criação da comitiva parlamentar foi feita pelo presidente da Casa, Humberto Coutinho (PDT). Na sessão desta segunda-feira (4), os deputados criticaram duramente o Governo Federal pelos atrasos nos serviços e chegaram a fazer um minuto de silêncio em respeito às oito vítimas que morreram em um acidente no qual uma carreta se chocou com um veículo de passeio, no domingo(3). O DNIT informou que as obras não estão paradas, mas alegou problemas financeiros para justificar atrasos e explicou que empresas trabalham em apenas um trecho da via, ao responder questionamento sobre fotos que comprovam o abandono de máquinas e equipamentos no acostamento da rodovia.

VEJA MAIS

Após grave acidente, DNIT-MA afirma que obras de duplicação da BR-135 não estão paradas

Acidente grave na BR-135 resulta em oito mortos

Após acidente que matou oito, Dino diz que pressionará para andamento de obra na BR-135

Em sessão na Assembleia, Humberto Coutinho chegou a afirmar que sabia, extraoficialmente, sobre três empresas que iriam retomar o trabalho da duplicação da BR, mas sugeriu a ideia de uma cobrança mais forte. Outros deputados também se manifestaram. Souza Neto (Pros), por exemplo, chamou a BR-135 de “estrada da morte” e defendeu a ideia de o governador Flávio Dino chamar a responsabilidade de buscar um entendimento junto ao Governo Federal para a finalização da oba. Já Adriano Sarney (PV), disse que a pressão maior deveria vir da bancada federal e ela deveria ser responsabilizada por este tipo de acontecimento.

Eduardo Braide (PMN) chegou a pedir a intervenção das Forças Armadas para acelerar o andamento das obras. O parlamentar afirmou que já havia feito um contato com o comandante do 24º Batalhão da Infantaria Leve (BIL), tenente-coronel Azevedo, ainda na semana passada, antes da tragédia.

“Ele me disse que o Exército tem todas as condições e efetivo para executar essa obra. Apresentaremos um requerimento para que seja encaminhada essa solicitação ao Ministro dos Transportes, para que ele possa fazer essa mudança. Tenho o maior apreço pela iniciativa privada, mas com essa situação da BR-135 não dá mais para conviver”, destacou.

Quase todos os parlamentares presentes na sessão fizeram cobrança neste sentido.

DNIT afirma que nada parou

Gerardo Fernandes, superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT-MA), afirmou que os serviços sofreram apenas atrasos, porém nunca foram paralisados. “As obras não foram paralisadas. A disponibilidade do orçamento financeiro do governo federal em 2015 impediu o avanço normal da obra, gerando atraso nos serviços. Algumas frentes de serviço foram realocadas em função do período chuvoso”.

DNIT afirma que homens trabalham em trecho específico da vai para justificar fotos de abandono das obras

Ainda segundo ele, as forças dos trabalhadores estão concentradas apenas na construção de viaduto, nas proximidades da cidade de Rosário. “As obras foram retomadas em abril deste ano e concentradas, inicialmente, na construção do viaduto de acesso a cidade de Rosário no entroncamento da BR 135 com a BR 402, em Bacabeira”, disse o superintendente, ressaltando que o prazo de entrega já está definido: “A duplicação está em andamento e os serviços serão intensificados a partir deste mês de julho. O prazo de entrega é abril de 2017”.

Questionado sobre os avanços do serviço, Gerardo Fernandes afirma que faltam apenas 20% para serem concluídos. “Cerca de 80% dos serviços estão concluídos”.

Sobre o orçamento, o Fernandes afirmou que chega mais R$ 350 milhões. “Incluindo os reajustamentos, até o momento o DNIT investiu cerca de 370 milhões”.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte