Descarte de resíduos

Ecopontos são criados para evitar descarte irregular de resíduos

Intenção é de que sejam instalados 10 pontos de coleta; um deles já está em funcionamento na Avenida dos Africanos e outros três estão sendo implantados

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h48
Na Avenida dos Africanos, ecoponto deve receber materiais que são levados por carroceiros e descartados na rua
Na Avenida dos Africanos, ecoponto deve receber materiais que são levados por carroceiros e descartados na rua (Ecoponto)

Para evitar o descarte irregular de resíduos pela população de São Luís, a Prefeitura está instalando ecopontos pela cidade. A previsão é de que sejam implantadas 10 unidades do tipo - todas em pontos da cidade que sofram com o descarte irregular. O primeiro deles foi instalado na Avenida dos Africanos e já está em funcionamento. O espaço é destinado à entrega voluntária de materiais descartáveis e inservíveis não recolhidos pela coleta convencional de lixo.

Além do ecoponto instalado na Avenida dos Africanos, outros três novos já estão em fase de implantação na área Itaqui-Bacanga, no Bequimão e no Turu. A previsão é que sejam implantadas 10 unidades do tipo - todas em pontos da cidade que sofram com o descarte irregular. Os produtos recicláveis coletados nesses pontos serão enviados a cooperativas de reciclagem. Já os produtos orgânicos e inertes (madeiras, resíduos de construção civil, vidros, plásticos, latas de alumínio, etc.) serão encaminhados para destino final adequado.

Os ecopontos vão atender principalmente carroceiros que fazem o descarte irregular de resíduos em lixões espalhados por São Luís. O projeto foi desenvolvido para atender geradores e transportadores de pequena quantidade de resíduos, com volumes inferiores a 2 metros cúbicos, transportados por veículos como pick-up, carrinhos de mão ou carroças. Eles serão instalados principalmente em áreas afetadas por grande volume de materiais descartados irregularmente, previamente catalogados pela coordenação do projeto. Os resíduos destinados a esses locais são, em grande parte, gerados por meio de reformas de pequeno porte, restos de poda e capina de origem domiciliar, ou ainda, móveis e eletrodomésticos velhos, que normalmente são descartados nas vias públicas.

Qualidade ambiental
Entre outras finalidades, a ação tem ainda como objetivo contribuir para a proteção da saúde pública e da qualidade ambiental; o descarte correto de pequenos volumes; a extinção dos lixões; além de estimular o reaproveitamento e a reciclagem de materiais descartáveis e propiciar à população um local específico para fazer a destinação do lixo reciclável acumulado em sua casa.

A medida é mais uma tomada pelo Município para se adequar ao Plano Nacional de Resíduos Sólidos. Outra foi o fechamento do Aterro da Ribeira (localizado a cerca de seis quilômetros do Aeroporto Hugo da Cunha Machado). Antes, o lixo produzido em São Luís era descartado no Aterro da Ribeira, que recebia cerca de mil toneladas de resíduos sólidos por dia. Após sua desativação, os resíduos passaram a ser descartados na Central de Tratamento de Resíduos (CTR), instalada no povoado Buenos Aires, no município de Rosário, a 60 quilômetros da capital.

O fechamento do Aterro da Ribeira atendeu à decisão do juiz da Vara de Interesses Difusos e Coletivos, Clésio Coelho Cunha. Uma Ação Civil Pública (ACP) ajuizada pelo Ministério Público Estadual (MP) tramitava desde abril de 1997 e visava, entre outros pontos, à reparação dos danos causados pelo Aterro da Ribeira, especialmente no que diz respeito aos riscos causados para a aviação, com a proximidade do aterro do aeroporto de São Luís.

Após tramitar por anos na Justiça, o MP obteve parecer favorável. No entanto, mas os efeitos da decisão foram suspensos pelo Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA). Desde 2008, o aterro funcionava por meio de força de liminar, mas foi desativado em julho de 2015.

NÚMERO
1.300 toneladas de lixo são produzidas por dia em São Luís

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.