Cidades | Ação social

Jovens participam de discussão sobre violência no bairro Tibiri

Atividade foi proposta pela Agência Matraca em parceria com o Unicef, por meio da Plataforma dos Centros Urbanos, e aconteceu na Escola Juvêncio Matos
Evandro Júnior/O Estado07/05/2016 às 11h08
Jovens participam de discussão sobre violência no bairro Tibiri

A penúltima ação do projeto "Adolescentes da PCU no Controle Social", encabeçado pela Agência Matraca em parceria com o Unicef, por meio da Plataforma dos Centros Urbanos, aconteceu na manhã deste sábado, 7, no Tibiri. Os jovens, reunidos na Escola Juvêncio Matos, foram envolvidos em uma discussão sobre segurança, quando tiveram a oportunidade de expor suas inquietações, temores e opiniões a respeito da violência que atinge o bairro onde residem.

Os participantes assistiram ao vídeo "Jovem Negro Vivo", da Anistia Internacional, e também participaram de sorteio de livros e de uma dinâmica proposta pela equipe. Segundo a consultora do Unicef, Lissandra Leite, a última ação desse projeto acontecerá no dia 14 de maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso Sexual e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, na Praça das Sete Palmeiras, na Vila Embratel, com a realização do jogo "Super Dicas - Enfrentando a Violência Sexual".

"Hoje é a sexta atividade que realizamos, pois já viemos de diversas outras áreas. Recentemente, estivemos na Vila Esperança. Estamos discutindo os dez indicadores que a Plataforma trabalha, entre eles, gravidez na adolescência, homicídio e qualidade da educação. Passamos, por exemplo, pela Cidade Olímpica, onde discutimos a violência contra meninas, e Vila Esperança, onde abordamos a questão da saúde. Os jovens participantes são indicados pela própria comunidade, mas há um grupo fixo componente da Plataforma", explicou Lissandra Leite.

Para Halysson Pereira, estudante de 17 anos e aluno da Escola Juvêncio Matos, integrar esse projeto é um ganho de conhecimento. "Eu, de minha parte, não imaginava que poderia contribuir para um projeto como esse, que nos tira do comodismo e nos faz refletir sobre várias coisas e a ajudar as pessoas", disse.

Conforme João Carlos Raposo, coordenador do projeto, as atividades da Plataforma dos Centros Urbanos concentra alguns territórios centrais: Tibiri, Maracanã, Cidade Olímpica, Coroadinho, Mauro Fecury, Tirirical e Vila Embratel. "Aqui, especificamente, propomos um vídeo com a comunidade, mas os jovens tiveram dificuldades de fazê-lo, pois os moradores ficam receosos de falar, haja vista o problema da violência nesta área da cidade", explicou João Raposo.

A Plataforma dos Centros Urbanos é uma contribuição do Unicef, em parceria com prefeituras e Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente das cidades participantes, visando à redução das desigualdades que afetam a vida de crianças e adolescentes.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte