Saúde íntima

Mitos e verdades sobre as doenças mais comuns no Carnaval

Especialista esclarece dúvidas sobre as doenças sexualmente transmissíveis, que têm incidência maior durante o período carnavalesco
Estadão Conteúdos21/01/2016 às 17h00

SÃO PAULO - As doenças sexualmente transmissíveis (DST) são as que mais acometem a população no período carnavalesco e, em muitos casos, medidas simples podem evitar grandes problemas, segundo a infectologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Graziella Hanna Pereira.

"Embora seja transmitido no ato sexual, o HPV também pode ser contraído por meio do atrito com a região pubiana. Ou seja, se uma pessoa tiver uma verruga no local, o parceiro que tiver contato direto com essa infecção também pode se contaminar", explica a infectologista.

O consumo excessivo de bebidas alcoólicas é um dos fatores que mais contribuem para que os jovens se deixem levar pela empolgação no período de carnaval, fazendo com que boa parte deles não tome as devidas precauções no ato sexual. Além do uso de preservativos, a limitação de parceiros pode auxiliar na diminuição de casos de DSTs, como AIDS, HPV e Hepatite B. Outras doenças comuns do carnaval são conjuntivite, herpes, Hepatite A e a mononucleose ? também conhecida como a doença do beijo.

Confira as características das doenças mais comuns do carnaval e os mitos e verdades sobre cada uma delas:

- AIDS: é causada pelo vírus HIV, que ataca as células de defesa do corpo, deixando o organismo vulnerável. É uma das doenças mais mortais no mundo, detectada por meio de testes, como o exame de sangue.

- HPV: é um condiloma acuminado, conhecido também como verruga genital, crista de galo, figueira ou cavalo de crista. É ocasionado pelo Papilomavírus humano.

- Hepatite B: é causada pelo vírus VHB, geralmente presente no sangue, no esperma e no leite materno. A maioria dos casos não apresenta sintomas, no entanto, os mais frequentes são cansaço, tontura, febre, urina escura e fezes claras.

- Hepatite A: é uma doença benigna ocasionada por meio de água ou alimentos contaminados. Apresenta os mesmos sintomas da Hepatite B, porém com duração menor.

- Herpes labial: é uma infecção viral e contagiosa nos lábios, na boca ou gengivas. Caracterizada principalmente pelo surgimento de bolhas pequenas e doloridas.

- Mononucleose: conhecida como a "doença do beijo", é encontrada na saliva das pessoas infectadas e costuma ser mais frequente em jovens e adultos devido à variedade de parceiros.

Mitos e verdades

A mononucleose é transmitida somente pelo beijo?

Mito. Também pode ser transmitida por meio de uma conversa muito próxima, espirro, tosse ou até mesmo ao dividir um lanche.

Herpes é uma doença crônica?

Verdade. Sim, pois o vírus fica armazenado no organismo.

Nos casos das Hepatites A e B, ambas são curadas espontaneamente?

Mito. Enquanto a Hepatite A é curada naturalmente pelo organismo na maior parte dos casos, a Hepatite B pode se tornar crônica e até levar à morte.

A AIDS só pode ser diagnosticada através do exame de sangue?

Verdade. Para isso, dois métodos são disponíveis: o teste rápido em uma gota de sangue e o exame convencional (Elisa).

Todos os tipos de HPV causam câncer?

Mito. A doença pode causar infecções vaginal, peniana, anal, cervical e vulvar. Porém, nem todos os tipos de HPV levam a pessoa a ter câncer.

A herpes labial também pode ser associada ao estresse emocional?

Verdade. Além do contato físico, que é a forma mais comum de transmissão, o estresse emocional e nervoso, assim como as mudanças bruscas de temperatura e exposição ao sol são fatores que contribuem para o surgimento da doença.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte