Investigação

Jovem é agredido com chineladas no rosto por policiais militares em Vargem Grande

Marcos Vinicius da Conceição nega que tenha envolvimento com o crime de roubo de uma motocicleta.

Imirante.com, com informações da TV Mirante

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h21
As imagens das agressões sofridas por Marcos Vinícius começaram a circular nessa sexta-feira (11) nas redes sociais.
As imagens das agressões sofridas por Marcos Vinícius começaram a circular nessa sexta-feira (11) nas redes sociais. (Foto: Reprodução / TV Mirante)

VARGEM GRANDE - Um inquérito administrativo foi aberto pela Polícia Militar do Maranhão (PMMA) para apurar se houve excessos na abordagem contra um jovem, identificado como Marcos Vinícius da Conceição, que foi agredido com chineladas no rosto por policiais militares em Vargem Grande, cidade distante 178 km de São Luís.

As imagens das agressões sofridas por Marcos Vinícius começaram a circular nessa sexta-feira (11) nas redes sociais. Segundo o jovem, que atua como mecânico, uma pessoa foi até a oficina onde ele trabalha e pediu o conserto da motocicleta.

Leia também:

Casal que agrediu jovem negro em Açailândia é indiciado por tentativa de homicídio

Jovem negra denuncia policiais por racismo após abordagem em avenida de São Luís​

Minutos depois da motocicleta ter sido deixada na oficina, uma guarnição da Polícia Militar foi até o local e questionou a procedência do veículo afirmando que era oriundo de roubo. Marcos Vinícius afirmou aos policiais que não sabia da origem da motocicleta e que havia recebido de um desconhecido para que consertasse. Os PMs desconfiaram da versão do jovem, que recebeu voz de prisão e foi encaminhado para o quartel de Vargem Grande.

De acordo com Marcos Vinícius, ele foi torturado e agredido com chineladas pelos policiais. Por não conseguirem a confissão do jovem, os militares liberaram o mecânico que voltou para casa com as marcas no rosto das agressões sofridas.

Um procedimento também foi aberto pelo Ministério Público do Maranhão (MP-MA) para investigar a conduta dos policiais. Já a Polícia Civil do Maranhão (PC-MA) informou que já abriu uma investigação para apurar o caso e afirmou que os militares envolvidos no caso ainda não foram identificadas.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.